Vasco se alia à superstição no vôlei

A superstição é nova aliada do Vasco na final da Superliga Feminina de Vôlei. Empolgadas com o empate por 1 a 1 na série melhor-de-cinco jogos contra o Flamengo, as jogadoras da técnica Isabel comemoraram a transferência das partidas restantes do ginásio de Caio Martins, em Niterói, para o Maracanãzinho. Motivo: o restrospecto positivo.No ginásio da capital, a equipe vascaína venceu quatro dos cinco confrontos realizados contra o Flamengo - dois pelo Campeonato Carioca e dois pela primeira fase da Superliga. No sábado, às 15 horas (com SporTV), Vasco e Flamengo fazem o terceiro jogo da série. O Maracanãzinho está em reformas e a capacidade de público para esta partida é de 6.812 torcedores."Acredito em coincidências e essa é uma vantagem a mais para nós nesta final", declarou Fernanda Venturini, a capitã do Vasco. "Foi lá que conquistamos nosso primeiro título." Ela observou também que em um ginásio maior será mais difícil ocorrer brigas de torcida. No último jogo, durante o segundo set, a polícia teve trabalho para conter um tumulto nas arquibancadas. "Rivalidade pode existir, mas desde que com respeito, o que não acontece hoje."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.