Vôlei: Brasil vence Argentina de novo

A seleção brasileira masculina de vôlei voltou a vencer a Argentina pela Liga Mundial. Neste sábado, em Brasília, marcou 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/21 e 25/19, em 1h05 de partida. Os jogadores do Brasil ganham folga hoje e se reapresentam ao técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, nesta segunda-feira, em Barueri (SP). Quarta-feira embarcam para Porto, onde enfrentarão Portugal pela próxima etapa, nos dias 6 e 7 de julho.Bernardinho disse neste sábado que mudará a equipe. O levantador Maurício, por exemplo, não jogará contra os portugueses por causa do nascimento de sua filha Maria Eduarda. A cesariana, que a princípio seria neste sábado - ele mudou a data para jogar contra a Argentina a pedido de Bernardinho - foi marcada para este domingo, às 11 horas, em uma maternidade de São Paulo, após o jogo da seleção brasileira de futebol. Marcelinho e Ricardinho serão os levantadores. Além dos 12 inscritos para os jogos contra os argentinos, o treinador tem à disposição Gilson, Ezinho e Rodrigão. "Claro que contra Portugal somos favoritos, mas vamos nos preparar da mesma forma como fizemos para enfrentar a Argentina", declarou o técnico, que destaca o central da seleção de Portugal, Ubirajara, de 1,98 metro, que é brasileiro naturalizado português."Eles têm vários brasileiros na equipe e o técnico Juan Dias, ex-treinador de Cuba por cerca de vinte anos - despediu-se em 2000.Ontem, Bernardinho já havia modificado a equipe para fazer experiências. Explicou que o time está em início de preparação e que por isso não está na melhor fase técnica. Iniciou a partida com o meio-de-rede Henrique (no primeiro jogo o titular foi André Heller), Gustavo, Maurício, André Nascimento, Giba (o maior pontuador do jogo deste sábado, com 15 pontos) e Dante (no lugar de Nalbert). "Gostei mais do desempenho deste sábado principalmente no saque que foi menos irregular. Forçamos menos, mas também erramos menos", analisou o exigente técnico, que mesmo em vatangem no marcador, gritava, gesticulava e até mordia a gola da camisa nos momentos mais tensos do jogo - brinca que não tem medo de "pifar" em quadra. "Sempre fui muito ativo desde pequeno. Não aguentaria se fosse o contrário." André Nascimento, que na última Superliga não teve o mesmo desempenho se comparado com a temporada anterior, é mira constante das cobranças. "Ele brinca que vai me matar de dar peixinho no treino para eu treinar a defesa", contou o atacante, que jogará no Panathinaikos, da Grécia, em 2002/2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.