Vôlei do Brasil encara o "mata-mata"

Agora é eliminatório. O basquete masculino e feminino e o vôlei feminino tropeçaram exatamente nessa fase, as quartas-de-final, em seus Campeonatos Mundiais, disputados esse ano (com edições a cada quatro anos). Nos Jogos Eqüestres Mundiais, o Brasil não ficou entre os 25 melhores conjuntos no individual e por equipes. A seleção brasileira masculina de vôlei (1ª colocada do Grupo J) terá a Itália (2ª do G) como adversária na próxima etapa do Mundial, na Argentina. Se ganhar, pelo menos, igualará a campanha de 1998, no Japão, quando terminou em 4º (o melhor resultado é a medalha de prata, em 1982, na Argentina). O confronto será nesta quarta-feira, às 18h30 (horário de Brasília), com transmissão do SporTV, no ginásio Orfeo Superdomo, em Córdoba. No mesmo local, às 16 horas, a Iugoslávia (1ª do K) enfrentará Portugal (2º do H).Na chave com sede em Buenos Aires, a Argentina, que venceu os italianos por 3 a 1, na noite de domingo, e terminou na liderança do Grupo G, pegará o segundo colocado da chave J, a França. O jogo será 21 horas, no Luna Park. Rússia (1º do H) e Grécia (2º do K) disputam a outra vaga para as semifinais às 18h30, no mesmo local. Assim como na Liga Mundial, os russos começaram a competição com apresentações irregulares (perderam para a Bulgária e França na primeira fase e só derrotaram Polônia e Espanha no tiebreak, na segunda etapa), mas avançam rumo à final - ganharam do Brasil na decisão da Liga, em Belo Horizonte.Esta segunda-feira foi dia de viagens para algumas das delegações. O Brasil deixou Santa Fé e passou por Buenos Aires para chegar a Córdoba - local onde jogou na primeira fase: 1195 quilômetros. Não há vôo direto de Santa Fé para Córdoba (são 340 quilômetros, completados em cerca de 5 horas em ônibus leito). A seleção, que até domingo à noite não sabia se iria jogar em Córdoba ou Buenos Aires, treinou à noite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.