Vôlei masculino enfrenta Polônia

A seleção brasileira masculina de vôlei começa a jogar nesta segunda-feira a semana decisiva da 12ª edição da Liga Mundial, em busca do primeiro título da renovada equipe sob o comando do técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho. A seleção jogará no grupo E, com Polônia, Iugoslávia e França. No grupo F estão Itália, Rússia, Cuba e Holanda. Os dois melhores de cada chave passam à semifinal, na sexta-feira - os vencedores jogam pelo título e o prêmio de US$ 500 mil, no sábado. O Brasil enfrenta a Polônia, nesta segunda-feira, às 15 horas (de Brasília), com transmissão da TV Globo e SporTV, no pavilhão Spodek. Os outros confrontos da rodada: Holanda x Cuba, Iugoslávia x França e Itália x Rússia. A campeã olímpica Iugoslávia, na terça-feira, e a França, na quarta-feira, serão os outros adversários do Brasil. Embora já seja verão na Europa, os jogadores foram surpreendidos, neste domingo, com a forte chuva e o frio de cerca de cinco graus em Katowice, quando saíram para treinar, em dois períodos, para a adaptação ao ginásio e preparando-se para enfrentar a Polônia e sua barulhenta torcida - Bernardinho treinou com Giba, Nalbert, Andre Nascimento, Maurício, Gustavo e Henrique no time titular, escalação que pode repetir nesta segunda-feira. Os jogadores também assistiram a sessões de vídeo com jogos do adversário. "É um time mecanizado. Muito forte fisicamente, mas que não sem muitos recursos no ataque", definiu o assistente-técnico Chico dos Santos. " Jogam muito pelas pontas, fica mais fácil para marcar. Mas o saque é um problema. Se colocarmos o passe nas mãos do Maurício não teremos problemas", observou Giovane. O Brasil começou bem seu novo ciclo olímpico, mas Bernardinho recusa-se a falar em favoritismo. "Não podemos considerar a posição da fase anterior. Agora é um outro torneio." Na etapa de classificação, o Brasil venceu 11 dos 12 jogos que disputou, com a melhor campanha entre os 16 times da Liga. Outros destaques foram a Itália (9 vitórias e 3 derrotas), no grupo A, a Rússia (8 vitórias e 4 derrotas), no B, e Cuba (10 vitórias e 2 derrotas), no C. A Polônia obteve 7 vitórias e 5 derrotas. Mas Bernardinho observou que os poloneses "não fizeram a final em casa para perder". O Brasil venceu a Liga Mundial uma única vez, em 1993, com a seleção campeã olímpica em Barcelona, um ano antes. A Itália tem oito títulos. Cuba e Holanda um título cada uma. Protesto - Representantes das seleções de Cuba, Itália e Rússia manifestaram descontentamento com a decisão da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) de variar a composição dos grupos na fase final. Uma alteração nas normas - os grupos foram formados com base no ranking mundial e não nos resultados da etapa de classificação - colocou a Rússia (no que seria a vaga da Polônia) no mesmo grupo de Cuba e Itália. Em tese, um benefício ao Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.