Vôlei: Maurício em busca do 7º título

Essa é a sexta final consecutiva de Superliga disputada pelo levantador Maurício. Das nove em que esteve em quadra, conquistou seis vezes o título ? três edições com o Banespa (1989, 1990 e 1991), na temporada 1996/1997 na Olympikus e duas vezes com o atual time, o Telemig/Minas (1999/2000 e 2000/2001).A equipe comandada pelo técnico Carlos Alberto Castanheira, o Cebola, busca o tricampeonato consecutivo com uma equipe que mantém a base desde então. Assim, a responsabilidade de Maurício, campeão olímpico em Barcelona/1992 e que acumula 488 partidas pela seleção brasileira ? marca inédita ?, é maior a cada ano. Além do talento, criatividade, técnica e rapidez, é aquele, que por causa da experiência, ?reclama, chama a atenção dos companheiros e depois passa a mão na cabeça, aplaude. Gosto dessa responsabilidade?, afirma o capitão Maurício, que será pai novamente ? desta vez de uma menina, a Maria Eduarda.Maurício foi o melhor jogador do primeiro confronto da final, em que o Telemig derrotou o Banespa, do treinador Mauro Grasso, por 3 a 2 (22/25, 22/25, 25/22, 25/22 e 15/10), sábado, em São Bernardo do Campo. Mesmo com 1,84 metro (baixo para os padrões mundiais), marcou 4 pontos de bloqueio, dos 14 do Minas ? foi o melhor da equipe. E no levantamento, de acordo com a estatística da competição, obteve avaliação excelente em 48 das 85 ações no jogo. No ranking geral, ocupa a quarta colocação, com 54,48% de aproveitamento.?Estou bem tranqüilo, jogando para satisfação própria, mas preocupado com o grupo, em ganhar o tricampeonato?, observa Maurício, que, no ginásio, distribuiu tantos autógrafos quanto Vítor Belfort, que participou da Casa dos Artistas, do SBT, e que foi prestigiar o Minas, time em que o pai é supervisor ? o lutador causou tumulto.Em caso de nova vitória, sábado, em Belo Horizonte, a equipe de Cebola conquistará uma façanha para o Minas Tênis Clube: mesmo tradicional na modalidade ? há 63 anos mantém equipes de vôlei, hoje, em todas as categorias ? até o momento não conquistou os títulos brasileiros no masculino e no feminino no mesmo ano. O MRV/Minas, da levantadora Fofão, considerada a melhor jogadora e levantadora da temporada, já ganhou o ouro ? a MRV Engenharia até renovou o patrocínio pelo sétimo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.