Vôlei: União mantém Vasco na ativa

Mesmo com salários atrasados há cerca de quatro meses e sem ter superado a saída da líbero Sandra, o Vasco não deixa a bola cair e segue na liderança isolada da Superliga Feminina de Vôlei. A explicação é da experiente atacante Denise: "Estamos jogando para nós mesmas. A fase da raiva já passou. Hoje vivemos a fase da solidariedade e fechamos com o grupo de ir até o final da Superliga juntas."Na última rodada, o time da técnica Isabel venceu o BCN/Osasco por 3 a 1 (16/25, 25/19, 29/27 e 25/22) e está a uma vitória de terminar a fase de classificação em primeiro lugar. O próximo jogo, quarta-feira, contra o Tênis/Oscar. No dia 7, o adversário será o Rexona.Para a atacante Ida, o segredo do bom desempenho vascaíno é a união e a fé. Além de liderar o torneio com 14 vitórias e duas derrotas, a equipe carioca comanda as estatísticas de ataque (Rosângela), saque (Flávia), levantamento e defesa (Fernanda Venturini). "Estamos legais e apostando no nosso jogo. Ainda acredito no Vasco", disse Ida, que desmentiu que abandonaria o time para voltar a atuar na praia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.