Divulgação/FIVB
Divulgação/FIVB

Wallace é liberado e só voltará a jogar pela seleção de vôlei em 2020

Oposto foi liberado para acompanhar de perto a reta final da gravidez da mulher Mariana

Redação, Estadão Conteúdo

14 de agosto de 2019 | 16h44

Após a conquista da vaga olímpica para Tóquio-2020 através de um torneio qualificatório encerrado no último domingo na Bulgária, a seleção brasileira masculina de vôlei mantém o foco nas competições que restam na temporada 2019, mas com uma ausência de peso: Wallace foi dispensado pelo técnico Renan Dal Zotto e só voltará a defender a equipe nacional em 2020.

Após conversas com o treinador, o oposto foi liberado para acompanhar de perto a reta final da gravidez da mulher, Mariana, e o nascimento da filha, Mia. De acordo com Renan, isso, inclusive, estava combinado antes mesmo da disputa do pré-olímpico.

"Tivemos uma conversa boa desde o início da temporada e já havíamos combinado que ele teria essa folga depois do Pré-Olímpico. É muito justo, e voltamos a contar com o Wallace no próximo ano", esclareceu o treinador.

Após a disputa do qualificatório olímpico, o elenco da seleção entrou em folga, com reapresentação prevista para a próxima segunda-feira no CT da CBV em Saquarema (RJ). Lá, a equipe vai se preparar para o Campeonato Sul-Americano, de 10 a 14 de setembro, no Chile, e a Copa do Mundo, de 1º a 15 de outubro, no Japão.

E Renan destacou que, mesmo com o principal objetivo do ano alcançado, a seleção vai encarar essas competições com seriedade e em busca de novas conquistas, embora tenha adiantado que não vai levar a força máxima ao Chile, mesmo ainda sem revelar quais jogadores serão poupados.

"Claro que o foco estava voltado para o Pré-Olímpico, mas ainda temos importantes compromissos pela frente. Vamos usar o grupo praticamente completo nos amistosos em casa e depois a programação é deixar alguns atletas de fora do Sul-Americano. Para a Copa do Mundo, teremos quase todos de volta e vamos em busca de finalizar a temporada com o título", explicou Renan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.