Divulgação
Divulgação

Zé Roberto cobra da seleção de vôlei evolução no bloqueio e defesa

Seleção conseguiu apenas o sexto lugar na classificação geral do Grand Prix de vôlei

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2013 | 10h01

MAYAGUEZ - Depois da disputa da segunda rodada do Grand Prix, na qual somou duas vitórias (República Dominicana e Porto Rico) e uma derrota (Bulgária) na cidade porto-riquenha de Mayaguez, a seleção brasileira feminina de vôlei ocupa apenas o sexto lugar na classificação geral do Grand Prix. Agora, parte para a última semana da primeira fase da competição, quando jogará, a partir de sexta-feira, no Casaquistão. E o técnico José Roberto Guimarães já avisou que o time precisa mostrar evolução no bloqueio e na defesa.

Se classificação terminasse hoje, o Brasil ficaria com a última vaga na fase final do Grand Prix, que reunirá as cinco melhores seleções após três rodadas e o anfitrião Japão, a partir do dia 28 de agosto, na cidade japonesa de Sapporo. Como as japonesas ocupam o segundo lugar, atrás apenas da líder China, as brasileiras conseguiriam avançar, junto com Sérvia, Itália e Estados Unidos. Mas ainda restam mais três jogos, para todas as 20 participantes, antes de definir quem segue vivo na luta pelo título.

Para Zé Roberto, o Brasil conseguiu reagir bem após ter perdido no sábado para a Bulgária, quando teve a sua única derrota em 18 jogos já disputados na temporada. No domingo, a seleção se impôs com facilidade diante do anfitrião Porto Rico e venceu por 3 sets a 0. "Estávamos vindo de uma derrota. Era muito importante essa vitória. O time jogou concentrado e gostei do comportamento da equipe", elogiou o técnico, já cobrando evolução. "Nessa terceira semana, precisamos trabalhar muito o bloqueio e a defesa."

Na terceira e última rodada da fase de classificação do Grand Prix, que começa na sexta-feira, o Brasil jogará, pela ordem, contra Cuba, Holanda e Casaquistão. E, aos poucos, Zé Roberto vai ajustando o time do que jeito que ele deseja. No domingo, por exemplo, pôde contar com a líbero Fabi, que fez seu primeiro jogo pela seleção desde a conquista do bicampeonato olímpico no ano passado. "Estou feliz por estar voltando e contribuindo com a seleção. Ainda estou um pouco fora de ritmo, mas faz parte", disse a jogadora.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiGrand PrixZé Roberto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.