Zé Roberto convoca 14 jogadoras para a seleção feminina

Fernanda Venturini está fora da lista, sendo a maior novidade a volta de Mari; ele fala em amadurecimento

Redação

20 de abril de 2008 | 13h29

O técnico Zé Roberto Guimarães anunciou neste domingo a lista com as jogadoras convocadas para a seleção brasileira de vôlei feminino, que vai disputar o Grand Prix (com a primeira fase em junho, na China, e a final em Yokohama, no Japão) e servir como preparação para a Olimpíada de Pequim, em agosto deste ano. Ele chamou 14 jogadoras e a levantadora Fernanda Venturini, como esperado, não foi chamada. Em compensação, a ponteira Mari, que não era chamada desde o Pan do Rio, ano passado, está de volta ao time.Esta lista apresentada neste domingo não sginifica que o grupo esteja definido para os Jogos. É que só poderão ser inscritas 12 no evento chinês - ou seja, duas terão de ser cortadas. Zé Roberto não quis dar pistas de como vai selecionar o time. "A pior coisa é dar essa lista de 12 jogadoras. O sonho de todas as jogadoras é ir para a Olimpíada, trabalham a vida toda até este momento. O COB fica me cobrando, todo mundo em cima. Eu acho que essa lista sairá uma semana depois do Grand Prix", avisa.Na entrevista coletiva, o técnico fez questão de frisar que o planejamento para a temporada com a seleção segue critérios parecidos com os de outras seleções internacionais. E que a lição do tropeço na Olimpíada anterior não faz parte do pensamento. "Aprender com as derrotas? Estou tirando isso do meu vocabulário, estou aprendendo com as vitórias. Com essas coisas a gente cresce, amadurece. Eu vejo que existe um foco muito grande na Olimpíada, no Grand Prix. Não em comparação com o passado. Mas estou vendo uma equipe bastante responsável para buscar uma medalha para o Brasil".  AS CONVOCADAS   Levantadoras Carol Albuquerque e Fofão Ponteiras Jaqueline, Mari, Paula Pequeno, Sassá e Valeskinha Centrais Carol Gataz, Fabiana, Thaisa e Walewska  Opostas Joycinha e Sheilla Líbero FabiPara reforçar que o trabalho é bom, o técnico lembra do retrospecto do time. "A seleção tem 119 jogos, 107 vitórias e apenas 12 derrotas, e agora teremos mais 25 jogos até o início da Olimpíada." EXPLICAÇÕESO pior momento para o técnico foi ter de abrir a convocação falando do caso Fernanda Venturini. "Conversei com muitas pessoas neste período. O que tínhamos de pendência de 2004 resolvemos numa reunião na confederação, cerca de 1h30. Não ficam flores, mas não ficaram seqüelas. Eu lamento, lamento muito, mas ela não faz parte da convocação. Não acho que seria justo a convocação pelas outras jogadoras, por tudo que se passou. Nós sempre tivemos uma regra, uma conduta, e que para mim sempre foram fundamentais neste período". Sobre a volta de Mari, Zé Roberto esbanjou elogios à jogadora, que atua no Scavolini Pesaro, da Itália, e está marcada como símbolo da seleção que perdeu a Olimpíada de Atenas, em 2004. "Conversei com a Mari sim, e pelo que vi do desempenho dela na Itália está apta para voltar ao time. É uma jogadora que me dá duas opções ao time, pois pode jogar tanto como ponteira como oposta. É uma atleta que está em plenas condições."MÉTODOSA principal preocupação de Zé Roberto na formação do time será com a defesa. "Eu acho que a gente tem uma série de jogos para ajustar o time, temos de crescer no sistema defensivo, principalmente com time que jogam com bolas altas. E não é só com o bloqueio. Essa boa defesa começa com um saque agressivo. É por aí o caminho".A preparação deste grupo será realizada em Squarema, no Rio, no dia 5 de maio, onde treinará por um mês. Depois, o time viaja aos Estados Unidos para a disputa de três amistosos, antes da viagem ao Oriente para a disputa do Grand Prix. Lá, os adversários em Ningbo, pelo Grupo B, serão a China, a Alemanha e a Tailândia, nos dias 20 a 22 de junho.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.