Zé Roberto dá nota 10 à seleção brasileira em vitória no Grand Prix

Treinador mostra satisfação plena com suas comandadas após 'atropelamento' sobre a Coreia do Sul, por 25/16, 25/12 e 25/15 

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2014 | 17h29

Após o "atropelamento" diante da Coreia do Sul, na estreia da seleção brasileira na segunda semana do Grand Prix de vôlei, José Roberto Guimarães não escondeu sua satisfação com o desempenho da equipe no Ginásio do Ibirapuera. "Foi ótimo. Se eu tivesse que dar uma nota para o time, seria 10", avaliou o técnico, depois da vitória por 3 sets a 0 (25/16, 25/12 e 25/15).

O treinador não escondeu que estava preocupado com a partida diante das coreanas. O time asiático se destaca pela velocidade do jogo e pelo repertório de jogadas de ataque, sempre buscando a ponteira Kim, uma das melhores do mundo. Mas o Brasil soube parar o rival e, em especial, a atacante, que embora tenha sido a maior pontuadora do jogo, teve apenas 16 pontos.

"A gente não deixou a Coreia pensar, respirar. Não poderia ser melhor. Eu estava preocupado com esse jogo, com a velocidade que a Coreia imprime, e com a Kim, que é uma excepcional jogadora. Mas o saque funcionou, cometemos poucos erros e lemos muito bem os movimentos de ataque da Coreia. Isso facilitou nossas ações defensivas."

A líbero Camila Brait, em sua primeira competição como titular da seleção, comemorou a vitória tranquila do Brasil, mas admitiu que não esperava tal facilidade. "Eu realmente não esperava, foi um jogo atípico. Mas conseguimos manter o ritmo, sacamos bem, bloqueamos muito. E conseguimos parar a Kim. Se qualquer outra jogadora fizesse 16 pontos, seria bom, mas ela está acostumada a fazer 30."

Mais uma vez, Fernanda Garay foi a principal pontuadora do Brasil - teve 15 acertos, seguida pela central Thaisa, com 13. A ponteira destacou o mérito brasileiro contra as coreanas, e espera que, neste sábado, contra a Rússia, a seleção saiba aproveitar as oportunidades. "Elas perderam hoje (para os EUA, por 3 sets a 1) e vão vir com tudo contra a gente. Vai ser um jogo difícil, duro, e espero que a gente consiga aproveitar os bons momentos.

A partida contra as russas, um dos clássicos do vôlei feminino atual, será às 10 horas. E Zé Roberto espera um jogo totalmente diferente ao que ocorreu nessa sexta. "Vai ser um jogo mais lento, com bolas mais altas, um bloqueio pesado", alertou. No domingo, o Brasil encerra a participação na segunda semana do Grand Prix contra as americanas, no mesmo horário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.