Divulgação
Divulgação

Zé Roberto festeja exigência imposta à seleção de vôlei

Treinador lembra que o Brasil precisa jogar em alto nível para chegar bem à fase final do Grand Prix

Agencia Estado

15 de agosto de 2009 | 15h25

O técnico da seleção brasileira feminina de vôlei, José Roberto Guimarães, comemorou neste sábado o fato de o Brasil ter sido fortemente exigido pela Alemanha na vitória por 3 sets a 2, com parciais de 25/27, 25/15, 25/19, 19/25 e 15/10, em Mokpo, na Coreia do Sul, pela fase classificatória do Grand Prix.

Veja também:

linkBrasil vence Alemanha e segue 100%

Ao comentar o panorama que espera para o jogo contra a Coreia do Sul, neste domingo, às 5h30 (de Brasília), na rodada derradeira do estágio classificatório, Zé Roberto deixou claro que o nível alto de exigência será fundamental para a seleção chegar bem à fase final da competição, que começa na quarta-feira.

"Quanto mais jogarmos, melhor. Gostei muito do time no primeiro, segundo e quinto sets, e das atuações da Natália e da Mari. Já a equipe da Coreia, tecnicamente, tem boas jogadoras. Vamos precisar sacar bem para quebrar o passe e evitar as diversas combinações de ataque delas", afirmou o treinador brasileiro.

A capitã e levantadora da seleção brasileira, Dani Lins, por sua vez, afirmou que também já esperava por uma partida complicada contra as alemãs. "Foi um jogo de altos e baixos, cometemos muitos erros, mas já esperávamos uma partida assim", disse.

Depois de encarar a Coreia, a seleção brasileira embarca para Tóquio, no Japão, onde tem boas chances de estrear contra a Rússia na fase final do Grand Prix. A rodada deste domingo servirá apenas para confirmar as colocações das equipes. O Japão, por ser país-sede, entra como líder da disputa decisiva, deixando o Brasil, invicto e maior pontuador até agora, em segundo. Sendo assim, a Holanda fica em terceiro e China, Rússia e Alemanha na quarta, quinta e sexta posições, respectivamente. Se as colocações forem mantidas neste domingo, as russas enfrentam as brasileiras na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.