FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Zé Roberto lamenta ineficiência no saque e bloqueio em revés da seleção feminina

Em outra partida, China derrota a Sérvia e conquista o segundo título consecutivo da Copa do Mundo de Vôlei

Redação, Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2019 | 13h27

O técnico José Roberto Guimarães lamentou a derrota sofrida pela seleção feminina brasileira de vôlei para a Coreia do Sul, por 3 sets a 1, na madrugada deste sábado (no horário de Brasília) e apontou a ineficiência no saque e bloqueio como fatores decisivos para o revés no penúltimo jogo na Copa do Mundo.

"A Coreia do Sul jogou muito bem no sistema defensivo a partir de um bom saque. Nós não conseguimos ter a mesma eficiência tanto no saque como no bloqueio. Fizemos poucos pontos de bloqueio e isso fez com que o time coreano acreditasse cada vez mais no jogo", disse o treinador.

A quarta derrota em dez jogos na competição encerrou qualquer chance de pódio do Brasil, que terá de brigar para fechar o torneio no quarto lugar, posição que ocupa no momento, com 18 pontos.

Para se manter em quarto, a seleção feminina terá de vencer a Rússia em seu último duelo na competição. A partida será neste domingo, às 2 horas (de Brasília).

"A Rússia tem melhorado a cada jogo e está numa performance melhor do que quando começou a temporada. O nosso sistema defensivo vai precisar funcionar na partida. A Goncharova está em um momento muito bom e é ponto de referência da equipe delas. Esperamos fazer um bom jogo para acabarmos a competição na melhor posição possível", analisou Zé Roberto.

CHINA CAMPEÃ

O título da Copa do Mundo foi conquistado com uma rodada de antecedência pela China, que arrasou a Sérvia por 3 sets a 0 na madrugada deste sábado (horário de Brasília) e chegou à sua quinta conquista, a segunda consecutiva, para se tornar a maior campeã da competição, desbancando Cuba, que tem quatro troféus.

O título coroa uma campanha irretocável das chinesas, que venceram todos os seus dez jogos no torneio até aqui e somaram 29 pontos, quatro a mais que os Estados Unidos, que aparecem na vice-liderança e brigam com a Rússia pela medalha de prata.

A competição no Japão termina neste domingo, quando a China fecha sua participação contra a Argentina apenas para cumprir tabela e comemorar o título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.