Zé Roberto prevê 'final muito difícil' com a Rússia

Derrotada pela Rússia na final do Mundial feminino de vôlei de 2006, o Brasil terá a chance de dar o troco nas adversárias neste domingo, a partir das 8h30 (de Brasília), em Tóquio, onde os dois países voltarão a jogar pelo título da competição. E, depois de ver a seleção sofrer para vencer o Japão por 3 sets a 2 na semifinal, após uma virada histórica, o técnico José Roberto Guimarães afirmou neste sábado que espera um duelo muito complicado diante das russas.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2010 | 16h29

"Depois de quatro anos, temos uma nova chance. Agora, temos que ganhar. Será um jogo muito difícil. A Rússia é uma excelente equipe e conta com três grandes jogadoras: Gamova, Sokolova e Kosheleva. A Sokolova está segurando o time russo no passe. Cresceu muito fisicamente. Está sendo muito exigida no ataque e no passe e está correspondendo. Será uma partida bastante complicada, mas trabalhamos muito durante o ano todo", afirmou o treinador, em entrevista publicada pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

E a ponteira Natália prevê uma partida com características muito diferentes das apresentadas na semifinal diante das japonesas. "O jogo contra a Rússia será totalmente diferente. Com as russas, o jogo é mais frio, cadenciado, com bolas altas. Ao contrário do estilo do Japão, é um jogo mais de bloqueio do que de defesa. Será uma partida muito difícil. As duas equipes estão invictas. Mas estamos confiantes e vamos lutar até o último momento", afirmou.

A oposto Sheilla, por sua vez, seguiu a mesma linha de discurso de Natália. "Amanhã (domingo) teremos que mudar tudo. Hoje (sábado), contra o Japão, tivemos que adaptar um bloqueio mais baixo. Amanhã, contra a Rússia, o bloqueio terá que ser alto. Agora, nós é que parecemos baixinhas perto das russas. Como em 2006, acho que vai ser um jogão, mas espero que agora a vitória fique conosco. Vamos ver o vídeo, estudar e chegar com tudo para a final", disse a campeã olímpica de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiMundialBrasilRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.