Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Ainda sonhando com título, Ricardo Oliveira pede que Santos esqueça o Corinthians

Para o centroavante santista, melhor maneira de sonhar com o título do Brasileiro é se concentrar no próprio trabalho

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2017 | 19h50

A vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, no último sábado, embalou o Santos a seguir brigando pelo sonho do título do Campeonato Brasileiro. O resultado diminuiu a diferença para o líder Corinthians para oito pontos e deu combustível extra para a reta final da competição, como explicitou o atacante Ricardo Oliveira na reapresentação do elenco, nesta quarta-feira.

+ Elogiado no Santos, Matheus Jesus festeja apoio e diz que ainda pode melhorar

"A forma mais eficiente de buscar o primeiro colocado é pensar no nosso trabalho. Não dá para esquecermos nossos compromissos e ficarmos pensando em quem está na nossa frente. Traçamos um objetivo até o final da temporada, que foi tratado entre nós, e queremos alcançá-lo. Esses dois últimos jogos foram fundamentais para a gente. Retomamos um caminho vitorioso dentro do Campeonato Brasileiro em um momento muito bom, onde estamos conseguindo encurtar a distância", declarou ao site do clube.

Além de manter o Santos na briga, o resultado mudou o ambiente na reapresentação do elenco, após três dias de folga. A decepção ainda sentida pela eliminação na Libertadores deu lugar ao ânimo pelo sonho de mais uma conquista.

"É diferente quando você descansa com vitória. A reapresentação acontece com um ambiente alegre, leve, com todo mundo feliz. Mas, agora, temos que retomar os treinamentos, já visando o nosso próximo compromisso, contra a Ponte Preta, mesmo ele estando um pouco distante", comentou o atacante, visando o duelo marcado para o dia 12.

Ricardo Oliveira ainda ressaltou a importância do triunfo do fim de semana diante de um rival. "Foi importante termos vencido o Palmeiras lá, termos quebrado um tabu, envolvendo toda a rivalidade que existe, em um ambiente que não é propício. Nós sempre somos recebidos lá de uma forma muito negativa, o que é normal, por conta da rivalidade, e voltar de lá com uma vitória é resultado de um trabalho coletivo, de uma entrega de todos. E fui o felizardo de ter feito gol."

Mais conteúdo sobre:
Santos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.