Gabrielo Bilo/ Estadão
Gabrielo Bilo/ Estadão

Com gol de Deyverson, Palmeiras bate o Avaí e entra no G-4 do Brasileirão

Capitão Dudu abriu o placar e fez questão de comemorar com o técnico Cuca

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2017 | 20h59

Em meio ao rebuliço nos bastidores do clube pelo afastamento do volante Felipe Melo, o Palmeiras usou da velha tática de vencer bem para tentar acalmar a crise. Sem dificuldades, o time de Cuca derrotou o Avaí por 2 a 0, no Allianz Parque, e entrou provisoriamente no G-4 do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time alviverde chegou aos 29 pontos e terminará a rodada entre os quatro primeiros se o Flamengo não vencer o Corinthians, no domingo.

Cuca iniciou o jogo com a formação que ele considera a ideal neste momento, e que deve ser escalada para encarar o Barcelona, do Equador, pela Libertadores. Com uma formação bem ofensiva e diante de um time que luta contra o rebaixamento, o Palmeiras fez o que se esperava dele e partiu para cima dos catarinenses, que geralmente já adotam uma formação defensiva. Neste sábado, então, se fechou mais ainda.

Mas a modesta equipe catarinense aguentou pouco a pressão. Com toques rápidos e jogadas pelas linhas de fundo, o Palmeiras conseguia abrir espaço na defesa, mas não chutava ao gol. Até que Dudu resolveu testar a boa fase do goleiro Douglas e levou a melhor. Aos 10 minutos, ele arriscou um forte chute da meia-lua, o goleiro do Avaí foi nela, mas não conseguiu evitar a abertura do placar.

Na comemoração do gol, Dudu fez questão de apontar e abraçar o técnico Cuca, deixando claro seu apoio ao treinador, que na sexta-feira decidiu afastar o volante Felipe Melo por tempo indeterminado. Aos 27, Guerra, que deu passe para Dudu no lance do gol e fazia boa partida, saiu machucado e causou certa preocupação.

Dudu, um dos melhores em campo, vomitou pelo menos três vezes seguidas e a partida chegou a ser paralisada para ele ser atendido. Após beber água, o atacante seguiu normalmente na partida.

O Avaí até ameaçou sair mais para o jogo, mas a empolgação dos visitantes só durou alguns minutos. Quando o jogo parecia que iria ficar complicado para o time de verde, Bruno Henrique, Róger Guedes e Raphael Veiga entraram pelo meio da defesa, através de uma bonita tabela, e Veiga passou para Deyverson. Como um bom centroavante, o atacante dominou, girou sobre a marcação e bateu rasteiro, sem chance para Douglas.

“Marcar meu primeiro gol em nosso estádio é ainda mais especial”, disse o atacante, que na comemoração chamou Mina para dançar na beira do campo e depois foi celebrar o feito com os jogadores do banco de reservas.

No final do primeiro tempo, o experiente Juan resolveu dar uma ajuda ao Palmeiras. O meia do Avaí, que tem passagens por São Paulo, Flamengo, entre outros, cometeu uma falta em Dudu, reclamou e levou o cartão vermelho. O time alviverde teria todo o segundo tempo para atuar com um jogador a mais.

A vantagem de jogadores, entretanto, não significou predomínio alviverde na etapa final. O time de Cuca voltou para a etapa final em um ritmo bem menos intenso, talvez se poupando para a sequência de jogos que tem pela frente. O Avaí mostrava muita vontade, mas faltava qualidade para chegar ao ataque. No máximo conseguiu alguns cruzamentos para Jailson tirar sem grandes dificuldades.

Mesmo em um ritmo mais lento, o Palmeiras teve maior volume de jogo e ainda quase fez o terceiro com um frango de Douglas, que definitivamente não teve uma noite muito inspirada. Keno cabeceou fraco, o goleiro foi encaixar, a bola escapou e quase foi para o gol. O relógio foi passando e os palmeirenses já começavam a administrar o resultado esperando que o bom resultado sirva para tentar acalmar os ânimos.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 0 AVAÍ

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Mina (Edu Dracena), Luan e Egídio; Bruno Henrique, Jean e Guerra (Raphael Veiga); Róger Guedes (Keno), Deyverson e Dudu. Técnico: Cuca.

AVAÍ: Douglas Friedrich; Leandro Silva, Fagner Alemão, Betão e Capa; Judson, Wellington Simião (D. Tavares), Pedro Castro e Juan; Joel (Rômulo) e Júnior Dutra (Maurinho). Técnico: Claudinei Oliveira.

GOLS: Dudu, aos 10, Deyverson, aos 34 do 1º tempo.

JUIZ: Anderson Daronco (RS).

CARTÕES AMARELOS: Juan, Joel e Deyverson.

CARTÃO VERMELHO: Juan.

PÚBLICO: 33.633 pagantes. (R$ 2.139.243,95).

LOCAL: Allianz Parque, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.