Nelson Perez/ FFC
Nelson Perez/ FFC

Diretor admite queda do Flu, mas elogia jogadores e mira recuperação no clássico

Gerente de futebol Alexandre Torres assegura que time carioca retomará o caminho das vitórias

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2017 | 16h10

Em meio à má fase do Fluminense e à crise política extracampo, o gerente de futebol Alexandre Torres veio a público nesta quarta-feira, 4, e prometeu a recuperação da equipe no Campeonato Brasileiro. O dirigente admitiu o mau momento individual de alguns jogadores, mas garantiu que o elenco tem capacidade para tirar a equipe desta situação incômoda.

+ Fluminense exonera vice de futebol após reclamação de receita de 'time pequeno'

"Há pouco tempo nessa temporada, a equipe do Fluminense já mostrou um futebol que encantou o Brasil, esteve entre as melhores equipes do Campeonato Brasileiro. E nós vamos voltar a jogar assim, contamos com a subida de produção de alguns jogadores e todos nós do futebol vamos fazer esforços", considerou o dirigente.

A queda recente de rendimento colocou o Fluminense a um ponto da zona de rebaixamento, em 16.º. Para se recuperar e ganhar moral no Brasileirão, o time terá pela frente na próxima rodada o clássico diante do Flamengo, que também está em baixa, no dia 12.

"O Fla-Flu é um grande clássico, talvez o maior do futebol brasileiro. Acho que todo jogador sonha em jogar um clássico como esse. É uma chance, é uma oportunidade de se motivar. O Fluminense demonstrou ao longo da temporada que tem time para enfrentar esse clássico, já tivemos bons jogos contra o Flamengo esse ano. O que nós estamos precisando é exatamente isso, um jogo marcante para se motivar, para o time recuperar a confiança do início do campeonato. E nada melhor que um clássico como esse para o jogador mostrar seu valor", disse Alexandre Torres.

O dirigente também fez questão de eximir o técnico Abel Braga de qualquer culpa pelo rendimento recente do Fluminense. "O Abel é muito experiente. Posso dizer que em nenhum momento sentimos uma queda de concentração ou de vontade do Abel no trabalho. Ele chega aqui cedo, é um dos primeiros a chegar no clube. O planejamento dele continua o mesmo, a postura perante os jogadores e dentro de campo continua a mesma."

Mais conteúdo sobre:
Fluminense Football Club

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.