Marcos de Paula/AE - 6/6/2010
Marcos de Paula/AE - 6/6/2010

Ex-zagueiro alega falta de folga e ganha processo do Corinthians

Paulo André alega não ter dias de descanso entre os intervalos das partidas

O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2017 | 17h19

O Corinthians foi condenado pela 20ª Vara do Trabalho de São Paulo, em segunda instância, a indenizar o zagueiro Paulo André por trabalhar aos domingos e feriado e não ter o descanso devido. O clube promete recorrer da decisão junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília. O valor ainda será calculado. A informação foi divulgada pelo UOL e confirmada pelo Estado.

+ Gabriel é suspenso pelo STJD e desfalca o Corinthians por dois jogos

O zagueiro alega na ação que nos jogos aos domingos e dias de semana não eram dados os descansos posteriores de 24 horas previstos por lei. O ex-zagueiro e atual comentarista William Machado, foi a testemunha de Paulo André, que defendeu o Corinthians entre 2009 e 2014. 

O defensor teve outros pedidos negados. Ele pediu cerca de R$ 2,5 milhões pelo processo total, mas deverá receber uma quantia bem menor, já que o Tribunal rejeitou os pedidos de unicidade contratual (junção dos contratos de trabalho e de imagem), nulidade do pedido de demissão, multa com base no art 467, diferenças no Direito de Arena, honorários advocatícios e recolhimento da Previdência Social. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.