Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Vanderlei cobra vitória no clássico para aumentar pressão sobre líder

Seis pontos atrás do Corinthians, Santos enfrenta o São Paulo, sábado, no Pacaembu

Estadão Conteúdo

26 Outubro 2017 | 19h18

Se vencer um clássico já é fundamental, a obrigação do Santos será redobrada para o duelo contra o São Paulo, sábado, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. Para o goleiro Vanderlei, não se trata apenas de derrotar um tradicional adversário. Mas, também, de colocar pressão sobre o Corinthians.

+ Renato admite ambição por título e projeta vitória sobre São Paulo

Líder com seis pontos de vantagem sobre o Santos, a equipe de Fábio Carille encara a Ponte Preta no domingo, fora de casa. "Precisamos muito desse resultado, precisamos vencer para nos aproximarmos do Corinthians. Até porque a gente joga antes e pode colocar uma pressão a mais para eles", avaliou o goleiro, enaltecendo a importância do duelo também por ser um clássico.

"A partir de agora qualquer jogo é chave. Precisamos tentar vencer em todas as rodadas e ver o que acontece com o Corinthians. E é um clássico também, o que traz uma motivação a mais", acrescentou o jogador nesta quinta-feira.

Embora tenha ponderado sobre a dificuldade de enfrentar o São Paulo, Vanderlei avaliou que o Santos vive um bom momento e tem condições de triunfar. "A gente vem fazendo boas partidas, conseguindo bons resultados e, querendo ou não, está a seis pontos do Corinthians faltando muitas rodadas. Isto é fruto do trabalho que a gente vem fazendo."

O goleiro falou também sobre o fato do clássico ser disputado no Pacaembu. E não negou que, por jogar lá ocasionalmente, o Santos prefira o estádio. "A gente conhece o Pacaembu, é um campo onde a gente costuma jogar e se dar bem. Mas tem a questão da torcida única, porque vai ser só a torcida do São Paulo", disse.

Por fim, Vanderlei analisou o reencontro com Dorival Júnior, atual técnico do São Paulo e ex-comandante do Santos. "Ele trabalhou aqui e conhece a característica de cada jogador. Mas não tem tanta diferença, porque hoje em dia você consegue acompanhar todos os jogos do Campeonato Brasileiro e conhece todas as equipes", explicou o goleiro, minimizando a importância do treinador ser agora o adversário. "Ele nos conhece, e nós também conhecemos o estilo de trabalho dele."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.