Entrega de kits da São Silvestre termina sábado

Entrega de kits da São Silvestre termina sábado

SILVIA HERRERA

27 de dezembro de 2017 | 08h30

Os 30 mil inscritos da 93ª edição da corrida de rua mais popular do Brasil devem se dirigir ao Ginásio Mauro Pinheiro portando documento com foto e comprovante de pagamento da inscrição. #SãoSilvestre #corridaderua #BlogCorridaParaTodos

A entrega começa nesta quarta-feira (27/12), às 9 da manhã. Até sexta o horário é das 9h às 19h. Na véspera da prova e último dia da retirada será das 9h às 16h, evite deixar para ir no último dia, que costuma ser lotadaço, por conta dos melhores de corredores que vêm de outros Estados. Só de Recife, por exemplo, está chegando um ônibus fretado pela Secretaria de Esporte desse Estado com 46 atletas. O Ginásio Mauro Pinheiro pertence ao Complexo do Ibirapuera, na Rua Abílio Soares número 1.300. Até o fechamento desta matéria a organização da prova não havia liberado imagens do conteúdo do kit nem da medalha de conclusão da prova.

No domingo, último dia do ano, lembre-se de colocar seu peitoral em local visível e chegar com antecedência. Os organizadores prometem rigoroso controle de acesso à área de largada, que será feito apenas pela Alameda Santos e Rua São Carlos do Pinhal.

Corredores que largam no pelotão Elite entram na Avenida Paulista pela Rua Frei Caneca. Corredores da geral dos setores azul e amarelo, pela Alameda Ministro Rocha Azevedo. Os do setor Vermelho, pela Rua Peixoto Gomide e Rua Plínio Figueiredo; do setor Cinza pela Alameda Casa Branca. A dispersão será a partir da Rua Joaquim Eugênio de Lima até a Alameda Casa Branca.  Todas as áreas serão restritas a corredores oficialmente inscritos e usuários locais. Quem for assistir é melhor se programar para não  ficar na Paulista.

A largada é na Avenida Paulista altura da Rua Frei Caneca. E a chegada é em frente à Fundação Cásper Líbero. A área de dispersão é a partir da Rua Joaquim Eugênio de Lima até a Alameda Casa Branca.

Aliás, quem pretende lutar pelo pódio sugiro chegar ao local com no mínimo duas horas de antecedência da primeira largada (8h20). Quem for curtir com os amigos pode ir mais perto do horário da largada do pelotão da geral, marcada para as 9h. E se prepare para curtir e se divertir na balada correeanda, tipo carnaval de rua de Salvador.  Demora uns 20 minutos só para você conseguir passar pela linha da largada. É bom também deixar uma garrafinha de 500ml no freezer e levá-la pra São Silvestre – assim você vai garantir sua hidratação no seu tempo. O primeiro posto de hidratação oficial é no km 4. Clique aqui para conferir os postos de hidratação e o percurso.

Briga acirrada

Entre os destaques brasileiros estão os fundistas Giovani dos Santos (361º), que já beliscou o pódio seis vezes, nunca no degrau mais alto, e Franck Caldeira (Equipe B3 Atletismo), campeão de prova em 2006. Eles terão que vencer os três etíopes confirmados para o masculino, entre eles Dawitt Admasu (campeão da SS 2014 e vice de 2016). Os outros dois são: Demiso Gudeta, vice-campeão da Meia Maratona Internacional do Rio; e Belay Bezabeh. O campeão do ano passado, o etíope Leul Aleme não vem. As três mulheres são:   Birhane Dibaba (campeã da Maratona de Tóquio deste ano), Mestawut Truneh e Sintayehu Hailemichael.

E mais seis quenianos, confirmaram: Paul Lonyangata, 25 anos, que estreia na São Silvestre (campeão da Maratona de Paris deste ano e campeão da Maratona de Xangai de 2015 com recorde), Stanley Biwott (campeão da São Silvestre e da Maratona de Nova York em 2015), Philemon Cheboi (campeão da Bay Breakers 12 k deste ano),  Edwing Rotich (vice-campeão da Meia de Madri em 2017), Marwa Mkami (campeão da Meia Maratona Bamamoyo Tanzânia) e Paul Kipkemboi,  sexto na São Silvestre do ano passado.  e Esther Kakuri (campeã da Meia Maratona Internacional do Rio deste ano).

O ugandense Maxwell Rotich, campeão da Eu Atleta 10K Rio (2017), o tanzaniano Saidi Makula,  Awet Guebrezguiabher, vice dos 10K Berlim deste ano, e Brhane Habtegbriel, vice na Crevillente San SIlevstre 10k, ambos da Eritréia, Birhanu Balew, do Barhein, nono nos 5000m dos Jogos Olímpicos do Rio, o boliviano Jorge Fernandez, e o peruano Yerson Orellana, completam a lista destaques no masculino.

Entre as mulheres, completam a lista dos destaques as quenianas Flomena Daniel, terceira na Maratona de Paris deste ano, Leah Jerotich, campeã da Volta da Pampulha e da Maratona de São Paulo deste ano, Paskalia Chepkorir, vencedora da Meia de Dheli e dos 15k Kobenhavn, e Rosemary Monich, campeã da Sanyo Women’s Road Race 10k, em 2016; a tanzaniana Failuna Matanga, com 2h34min na Maratona de Amsterdã e sexta na São Silvestre do ano passado, a chilena Margarida Guineo, campeã da Meia Maratona Caja os Andes, e a argentina Marcela Cordeiro.

A São Silvestre é uma realização da Fundação Cásper Líbero, com promoção da Gazeta Esportiva, e transmissão da TV Gazeta e TV Globo. O patrocínio é do Bradesco e Motorola, com apoio do Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura de São Paulo. A supervisão é da IAAF, CBAt e FPA.

Festa

Quem vem correr e turistar em Sampa vale à pena curtir a festa à noite. Os shows da virada do ano começam às 20h e vão até às 2 da madruga. À meia-noite haverá 15 minutos de queima de fogos. Os artistas confirmados são: Claudia Leitte, do grupo Sambô e do cantor Latino. A prefeitura calcula que a festa atraia 1,2 milhão de pessoas, 200 mil a mais que a anterior. O palco está sendo erguido na Paulista, altura da Bela Cintra. Quem quiser compartilhar suas mensagens no telão deve usar a hashtag #revnapaulista2018 ou enviar na fanpage do facebook @revnapaulista. Pessoas com mobilidade reduzida terão um espaço reservado próximo ao palco, que poderá ser acessado pela lateral da Rua Haddock Lobo.

Haverá revista para ingressar no local da festa. Não são permitidos objetos cortantes, guarda-chuva e bebidas. Haverá 80 pontos de alimentação ao longo da avenida, além de 400 banheiros químicos e seis postos médicos equipados com Unidade de Terapia Intensiva Móvel (UTI) móvel.

 

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de ruaSão Silvestre

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.