João Pires/LNB
João Pires/LNB

Contra o Mogi, Paulistano joga para confirmar título inédito no NBB

Com vantagem de 2 a 1 na série melhor de cinco, time da capital pode ser campeão neste sábado, no Hugo Ramos

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2018 | 07h00

O Paulistano pode ser campeão do NBB (Novo Basquete Brasil) neste sábado. Com vantagem de 2 a 1 na série melhor de cinco, o time da capital encara o Mogi das Cruzes na casa do rival, em um ginásio Hugo Ramos lotado, para confirmar o título inédito. A disputa começa às 14h, com transmissão da Band e do SporTV 2.

+ Paulistano segura pressão do Mogi e fica a uma vitória do título do NBB 

+ Mogi atropela o Paulistano no jogo 2 e empata série final do NBB

+ Paulistano vence o Mogi fora de casa e larga na frente na decisão do NBB

Em sua segunda final consecutiva no NBB, o time do técnico Gustavo de Conti não quer falhar desta vez. Na temporada passada, o Paulistano abriu 2 a 0 contra o Bauru e levou a virada.

“Ano passado tivemos esse ‘match point’ três vezes e não conseguimos fechar. A gente sabe que o Mogi é muito forte dentro de casa, então precisamos estar muito focados e melhorar em alguns aspectos defensivos”, comentou Lucas Dias. “Vai ser um jogo difícil, principalmente no lado mental, mas nós sabemos lidar com isso. Não vamos mudar o nosso estilo de jogar”, avisou Yago.

O estilo citado pelo armador é o basquete agressivo, com um ritmo frenético e eficiente nas bolas de três pontos. O Paulistano chegou até aqui jogando desta maneira e não pretende mudar isso agora. A eficiência nos arremessos será determinante para o sucesso.

Nos dois jogos em que saiu vitorioso, o time da capital registrou 50% ou mais de aproveitamento nos arremessos de três pontos. No que foi superado, acertou só 33,3%. 

“Precisamos tirar os arremessos de três deles e também o primeiro tempo. Eles aceleram muito o jogo nos dois primeiros quartos e precisamos estar atentos”, analisa Guerrinha, técnico do Mogi, que promete apostar, assim como faz o Paulistano, em rodar o time em quadra. “A tendência é fazer vários tipos de quintetos. Acho que as duas equipes vão atuar com um time mais baixo, para tentar ter mais o controle do jogo e poder fazer uma rotação de defesa melhor.”

A última partida, se necessária, será no ginásio Wlamir Marques, do Corinthians, no próximo sábado.

Mais conteúdo sobre:
NBB [Novo Basquete Brasil]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.