Divulgação/ Santos FC
Divulgação/ Santos FC

Adaptados, jogadores do Santos já elogiam trabalho de Ariel Holan

Próximo grande desafio da equipe santista é contra o San Lorenzo em busca de vaga na fase de grupos da Libertadores

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

25 de março de 2021 | 21h56

Perto de completar um mês no comando do Santos, Ariel Holan já começa a colecionar elogios no elenco do time. Aos poucos, o técnico argentino vai conquistando os jogadores com seus novos e diferentes métodos de treino, que agora aplica em clima de intertemporada em Atibaia, no interior de São Paulo.

Logo em sua primeira atividade, no dia 2 deste mês, o argentino colocou nada menos que 50 jogadores em campo. Até atletas do sub-23 participaram do treino. Nesta semana, enquanto o Paulistão Sicredi 2021 está paralisado, com jogos somente a partir do dia 30, o treinador tem surpreendido os jogadores ao dividir os treinos entre defesa e ataque.

"Ele separou o elenco em dois. Nós, defensores, treinamos no campo primeiro e depois fomos para a academia. Enquanto a gente trabalhava no gramado, a parte ofensiva estava na academia e só depois que a gente saiu eles foram para o campo. Treinos bem focados naquilo que o professor quer melhorar em todos os setores e ajudam muito para nós crescermos em coisas que às vezes ele não consegue ajustar quando todos do elenco estão reunidos no gramado", revela o zagueiro Luan Peres.

O jogador de 26 anos aprovou a nova metodologia. "Tem sido um trabalho legal demais e estou aprendendo bastante com ele. O zagueiro tem que ser completo para o professor e acho isso muito válido, pois o futebol moderno exige isso. E o zagueiro moderno tem que ser exatamente desse jeito que ele quer mesmo", comenta.

Conhecido por usar a tecnologia em seus trabalhos, Holan tem dado atenção especial aos treinos de alta intensidade, a exemplo do que fazia Jorge Sampaoli. "O professor Ariel é um cara muito intenso, ele vem colocando intensidade nos treinamentos e diversificando ainda mais nos treinos. Então, a gente vem muito feliz pelo trabalho no campo. Um exemplo que já vem colocando ritmos nos jogos. Contra o Deportivo Lara, colocamos mais a posse de bola. Então, estamos conseguindo colocar nos treinamentos, e aos poucos ele vai colocar a sua cara (no time)", diz o lateral-esquerdo Felipe Jonatan.

Porém, ao contrário do que acontecia sob o comando de Sampaoli, as atividades no CT Rei Pelé, e agora também em Atibaia, são marcadas pelo clima mais agradável, criado pelo próprio treinador. "Ele é um cara bem alegre, espontâneo, extrovertido no CT e nas concentrações."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.