Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Após três dias de protestos, torcida do Cruzeiro não comparece ao CT do clube

Pelas redes sociais, torcedores agendam manifestação para sábado, no horário do jogo com o Palmeiras

Redação, Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2019 | 19h36

A torcida organizada do Cruzeiro não compareceu ao CT do clube para protestar nesta quinta-feira, após três dias de manifestações com críticas ao trabalho da diretoria e ao desempenho de vários jogadores. As mesmas foram movidas principalmente pela derrota de goleada, em casa, para o Grêmio, por 4 a 1, no último domingo pela manhã, pela rodada passada do Campeonato Brasileiro.

Ao mesmo tempo, nas redes sociais redutos do time espalhados por várias partes do mundo se organizam para protestar contra os dirigentes, em um evento programado para sábado, às 19h, no momento da partida contra o Palmeiras, no Allianz Parque, pela rodada final do primeiro turno do Brasileirão. Os alvos serão o presidente Wagner Pires de Sá, o vice de futebol Itair Machado e o diretor-geral Serginho.

Por meio de mensagens de celular, os organizadores do evento articularam a iniciativa. "Os redutos no Brasil e no mundo estarão se reunindo para assistir ao jogo contra o Palmeiras e protestar contra a diretoria. Se você é cruzeirense procure o reduto mais próximo de sua casa. Leve faixas de protesto contra as pessoas que estão afundando o nosso clube amado", afirmou o texto divulgado pelo WhatsApp.

Segundo dados do grupo, além do Brasil, a torcida cruzeirense possui redutos na Argentina, Paraguai, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Espanha e Irlanda. Também estão previstas manifestações em vários estados brasileiros.

Itair Machado, que estava impedido pela Justiça de exercer as funções de vice de futebol, após ação movida por grupo de conselheiros e associados do clube, esteve nesta quinta-feira na Toca da Raposa. Um dos alvos dos protestos da torcida, o dirigente acompanhou o aquecimento dos jogadores.

O atacante Pedro Rocha, em entrevista coletiva, demonstrou otimismo para superar o mau momento da equipe dentro e fora de campo. "Nada supera o trabalho. Sabemos que trabalhando bastante, focados sempre, podemos mudar essa situação. E estamos comprometidos no trabalho."

Em busca de definir uma escalação para o próximo jogo, o técnico Rogério Ceni orientou treinamento nesta quinta-feira à tarde. O lateral-direito Orejuela, que defendeu a seleção da Colômbia nos amistosos contra Brasil e Venezuela, esteve presente após se reapresentar no clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.