Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

Argentina quer vitória para apagar decepção da estreia e resgatar Messi

Sampaoli aposta mais uma vez no craque, agora diante da Croácia, em Nizhny Novgorod

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2018 | 05h00

A seleção da Argentina entrará em campo às 15 horas desta quinta-feira, em Nizhny Novgorod, com duas missões: faturar a primeira vitória na Copa do Mundo da Rússia e recuperar o moral de Lionel Messi. Ambas as metas, que podem ser alcançadas contra a Croácia, são decisivas para a permanência da equipe de Jorge Sampaoli no Mundial.

+ Sampaoli alivia pressão sobre Messi: '40 milhões de argentinos erraram o pênalti'

+ Sampaoli treina Argentina com três zagueiros e faz mistério no meio de campo

O time argentino estreou com um decepcionante 1 a 1 com a Islândia. A frustração se concentrou sobre Messi pelo pênalti perdido quando a partida já estava empatada. E só ampliou a velha insatisfação de parte da torcida com o craque do Barcelona, que ainda sonha com o primeiro título com a seleção principal, após vices no Mundial de 2014 e nas últimas duas edições da Copa América.

A nova leva de críticas a Messi fez Sampaoli vir a público para defender o atacante. "Quando Leo faz um gol, toda Argentina comemora. Quando perdemos, parece que só ele é culpado. É muito para uma pessoa. Ele é o melhor do mundo, mas não é possível que alguém sozinho consiga mudar a realidade de uma partida", disse o treinador.

Para recuperar a equipe, Sampaoli promoveu mudanças drásticas na escalação. Alterou até o esquema tático. Trocou o 4-5-1 pelo 3-4-3. Reduziu, assim, a defesa e povoou o meio-campo. Trata-se de estratégia também para favorecer o jogo individual de Messi. Com mais jogadores no setor, o atacante será mais abastecido e terá mais opções para jogar por perto.

 

Com as alterações, caíram Marcos Rojo, Biglia e até Di María. Sampaoli vai dar chance a Mercado na defesa, Enzo Pérez no meio-campo e Meza no ataque, embora o treinador tenha deixado dúvidas sobre a escalação deste ou de Pavón no setor ofensivo, formando trio ao lado de Messi e Agüero.

O objetivo, claro, é deixar o time argentino mais ofensivo. Ao mesmo tempo, um meio-campo mais reforçado vai ajudar a neutralizar o volume de jogo do mesmo setor croata. A seleção liderada pelo técnico Zlatko Dalic conta com dois dos melhores meio-campistas do futebol europeu do momento: Ivan Rakitic e Luka Modric.

"A Croácia tem muitas variações quando vão ao ataque. Vai ser difícil, eles têm uma geração muito boa e é uma seleção que vem de vitória. Vamos sair para o jogo, como fizemos contra a Islândia, e temos de ser intensos para buscar o gol desde o primeiro momento", projeta Sampaoli.

Referência da equipe, Rakitic também espera um duelo complicado. "Para ganhar da Argentina, temos que ser perfeitos", prevê o meia, que reencontrará Messi, seu companheiro de Barcelona. "Não há nada que não seja conhecido sobre Messi. Ele é o melhor jogador do mundo e é quase impossível pará-lo", afirma.

Líder do Grupo D, a Croácia soma três pontos e pode até garantir a vaga nas oitavas de final se superar o favorito da chave. Já a Argentina precisa da vitória para sobreviver. Um novo empate pode antecipar o fim da trajetória do time de Messi na Rússia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.