Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Brasil usa quarteto inédito e busca sintonia fina contra o Japão, a maior vítima de Neymar

Autor de oito gols contra a seleção asiática, camisa 10 formará ataque com Paquetá, Raphinha e Vinicius Junior

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2022 | 05h00

A seleção brasileira faz seu último compromisso nesta Data Fifa nesta segunda-feira, às 7h20 (horário de Brasília), diante do Japão, rival contra o qual Neymar se sente à vontade. A seleção asiática é a maior vítima do camisa 10. O craque do Paris Saint-Germain terá a companhia de Lucas Paquetá, Raphinha e Vinicius Junior no ataque e formará um quarteto ofensivo inédito.

Embalada pela goleada de 5 a 1 sobre os sul-coreanos, em Seul, a seleção usa o duelo com os japoneses para fazer poucos ajustes que ainda restam a cinco meses da Copa do Catar. É o momento de encontrar a "sintonia fina", na visão de Tite.

"A equipe está aberta, não só a convocação final, mas a equipe titular está aberta. Os níveis apresentados deixam a comissão com a cabeça boa. Pelo nível técnico, pelo desempenho apresentado", avisou o treinador, ciente de que o quarteto ofensivo pode oscilar e precisa de tempo para encontrar o entrosamento ideal. "A expectativa é boa, mas com calma, para ter a condição dos ajustes, sincronia, movimentos, execução na mesma velocidade".

Alguns atletas que têm sido titulares terão oportunidades de mostrar serviço a Tite nesta segunda. É o caso, por exemplo, do lateral-esquerdo Guilherme Arana. O jogador do Atlético-MG é uma das quatro mudanças que o técnico promove em relação ao amistoso contra a Coreia do Sul. 

As outras são o retorno de Alisson ao gol, devolvendo Weverton à reserva, as entradas de Militão na vaga de Thiago Silva e de Vinicius Junior no lugar de Richarlison. O atacante do Real Madrid viveu, segundo ele mesmo, a melhor semana de sua vida. Na final da Liga dos Campeões, marcou o único gol da partida, que decidiu o título para o time espanhol. Dias depois, se apresentou ao grupo de Tite.

"Não quero parar por aqui, quero seguir fazendo história e evoluir para fazer grandes coisas no futebol. Com 21 anos estar na Seleção e fazer gol na final da Liga dos Campeões é um peso muito grande, me dá bagagem para sonhar", disse o jovem atacante.

No Estádio Nacional de Tóquio, reformado recentemente e que estará lotado, já que todos ingressos foram vendidos - quase 70 mil - Neymar o adversário contra o qual mais marcou gols. Foram oito gols em quatro duelos. Quatro ele fez apenas em um jogo, o amistoso em  Singapura, em 2014, vencido pelo Brasil por 4 a 0.

O camisa 10 formará um quarteto novo e jogará como um falso 9, mas terá liberdade para flutuar no ataque. Ele 73 gols pela seleção e está a quatro de igualar Pelé na artilharia histórica. Isso nas contas da Fifa, que não leva em conta jogos contra clubes e combinados.

JAPÃO X BRASIL

JAPÃO - Schmidt; Ito, Taniguchi, Yoshida e Yamane; Haraguchi, Endo e Kamada; Mitoma, Doan e Asano. Técnico: Hajime Moriyasu.

BRASIL - Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Éder Militão e Guilherme Arana; Casemiro, Fred, Neymar; Raphinha, Lucas Paquetá e Vinícius Júnior. Técnico: Tite

ÁRBITRO - Alireza Faghani (Irã)

HORÁRIO - 7h20 (de Brasília)

LOCAL - Estádio Nacional de Tóquio

TRANSMISSÃO - Globo e SporTV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.