Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Casemiro vê Neymar acostumado com pressão e pronto para liderar a seleção

Brasil enfrenta o México na segunda-feira, pelas oitavas de final da Copa do Mundo

Leandro Silveira, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 17h46

Neymar ainda não conseguiu passar despercebido na Copa do Mundo da Rússia. Após sofrer 10 faltas no empate por 1 a 1 contra a Suíça, se envolveu em polêmicas com a arbitragem no triunfo por 2 a 0 sobre a Costa Rica, marcou um gol, chorou e atacou seus críticos através das redes sociais. Depois, diante da Sérvia, fez o seu melhor jogo ao ter boa atuação coletiva em novo triunfo por 2 a 0, conseguindo se afastar de polêmicas e sendo importante para a seleção.

+ Marcelo volta a treinar, mas ainda não tem presença confirmada contra o México

+ México faz treino fechado, viaja e Osorio exalta Brasil como 'melhor do mundo'

Após essa atuação de alto nível, a expectativa é de que Neymar consiga encontrar a tranquilidade necessária para só se preocupar em exibir o seu talento dentro de campo. E uma boa amostra dessa "paz" se deu no treino da última sexta-feira em Sochi, quando brincou com o seu filho, Davi Lucca, dentro de campo e fez malabarismos com a bola. Para o volante Casemiro, o atacante da seleção brasileira está acostumado a lidar com as cobranças e não precisa de "proteção" para desempenhar o papel de líder técnico da seleção.

"Ele sabe como lidar com as críticas. Se Neymar não joga bem um jogo, toma porrada. Se joga bem, é o melhor do mundo. Ele está acostumado e sabemos da qualidade dele. No primeiro jogo, todos podem ter feito um jogo regular, mas ele já demonstrou estar mais solto contra a Sérvia, fez grande partida", afirmou o volante.

Para Casemiro, é natural que as atenções se voltem mais para Neymar na seleção. Mas ele destaca a força coletiva do Brasil, o que inclui o desempenho seguro do sistema defensivo, que só sofreu um gol nos três compromissos que teve na fase de grupos da Copa do Mundo. E assegurou que o restante do grupo também sabe que possui a sua importância.

 

"Futebol sempre se tem um jogador de que falam mais. Mas tem que ter um conjunto muito bom e, claro, um jogador acima da média. É inevitável dizer que o nosso jogador acima da média é o Neymar, mas não podemos nos esquecer que temos outros grandes jogadores, uma defesa muito sólida, um grande goleiro. Assim como em outros anos, quando foi Ronaldo, Pelé, Romário. Futebol são 14 jogadores, 11 titulares e os três que entram", disse.

Embora Neymar tenha marcado um gol no duelo contra a Costa Rica, ainda não teve atuação brilhante na Copa do Mundo. Mas Casemiro aposta que isso pode acontecer a qualquer momento, incluindo o duelo contra o México, nesta segunda-feira, em Samara, pelas oitavas de final. "Sem dúvida, o Neymar pode mudar um jogo a qualquer momento", concluiu.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.