Acervo / Chapecoense
Acervo / Chapecoense

Chapecoense aposta na pontaria afiada para superar o Vasco no Rio

Técnico Guto Ferreira aproveitou adiamento de jogo contra o Atlético-PR para treinar finalização

Estadão Conteúdo

26 Agosto 2018 | 08h04

Há males que vem para o bem. O adiamento do jogo da Chapecoense com o Atlético-PR, na última quarta-feira, deu chances ao técnico Guto Ferreira de aperfeiçoar o time nos treinamentos. Ele aproveitou e deu destaque especial para seu ataque, exigindo empenho nas finalizações. A esperança é de que o ataque funcione bem diante do Vasco, domingo, às 19 horas, em São Januário, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para Guto Ferreira, tudo é bastante lógico, ainda mais que o time catarinense tem o quarto pior ataque do torneio, com apenas 19 gols em 19 jogos disputados. "É muito pouco e nós temos que melhorar tanto nas conclusões como no setor de criação de jogadas. Por isso, intensificamos o posicionamento ofensivo e os chutes a gol. Como se vence jogos sem marcar gols? Não existe", disse Guto.

O time, na verdade, está escalado desde terça-feira, véspera do jogo com o Atlético-PR, adiado para 13 de setembro porque o time paranaense não conseguiu viajar devido o mau tempo. As mudanças tinham sido definidas após a derrota para o São Paulo, por 2 a 0, domingo passado, no Morumbi. E elas são as entradas do lateral-esquerdo Bruno Pacheco, do meia Yann Rolim e do atacante Bruno Silva nos lugares de Alan Ruschel, Diego Torres e Wellington Paulista, respectivamente.

O volante Elicarlos, que treinou com o grupo na sexta-feira, segue de fora, em período de transição física. Ele nem viajou para o Rio com o elenco, que tem a obrigação de pontuar para se afastar da zona de rebaixamento. A Chapecoense tem 21 pontos, com um jogo a menos do que a maioria de seus concorrentes.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.