Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Confronto entre corintianos e seguranças do Metrô acaba com uma pessoa baleada

Após derrota no Majestoso, são-paulinos protestam no CT do clube e PM usa bombas de efeito moral e gás de pimenta

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2019 | 09h25

Um torcedor do Corinthians acabou baleado no joelho durante confronto com seguranças da estação Corinthians-Itaquera do Metrô, na zona leste, antes da vitória no clássico contra o São Paulo, na Arena Corinthians. O disparo foi realizado por um agente da segurança da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A arma utilizada na confusão foi apreendida pela Polícia do Metrô, que vai investigar o caso. Uma bomba caseira também foi encontrada durante a confusão.

 

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o confronto na área das catracas. A confusão teria começado após os torcedores tentarem acessar a estação sem pagar. Durante o tumulto, fogos de artifício foram disparados contra a equipe de segurança.

Após o Majestoso, a torcida do São Paulo também entrou em confronto com a Polícia Militar, mas em outro ponto da cidade. Assim como aconteceu após a eliminação da Libertadores, contra o Talleres, cerca de 100 torcedores  foram ao Centro de Treinamento da Barra Funda, zona oeste, protestar contra o elenco e contra a gestão do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Para conter os manifestantes, duas bombas de efeito moral e gás de pimenta, foram lançadas contra os torcedores.

O ônibus do São Paulo, que saia da Arena Corinthians, acabou não retornando para o CT. Alguns jogadores também acabaram deixando o estádio rival em seus carros particulares.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.