Agência Corinthians/Divulgação
Agência Corinthians/Divulgação

Corinthians não quer testar covid-19 antes da final; entenda o protocolo do Paulistão

Andrés Sanchez alega que jogadores do clube cumprem isolamento; Palmeiras defende testes, mas não mantém atletas concentrados

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2020 | 14h14

O Corinthians não quer fazer os exames para detecção do novo coronavírus antes das duas partidas da final do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras. Em reunião por videoconferência nesta segunda-feira, o presidente do clube do Parque São Jorge, Andrés Sanchez, afirmou que a equipe não considera necessário colocar o elenco para realizar o teste porque os jogadores têm permanecido em isolamento no centro de treinamento do clube durante os últimos dias. Veja a nota oficial da equipe.

O presidente corintiano revelou a recusa em conversa nesta segunda-feira com as participações do presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, e do presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos. Adversário do Corinthians na decisão, o Palmeiras se posicionou contrário à ideia e afirmou que vai colocar todos os jogadores para serem submetidos ao testes.

A FPF ainda não se posicionou sobre o tema. O diretor médico da entidade, Moisés Cohen, ficou encarregado de procurar os médicos dos dois clubes para encontrar um acordo. O pedido do Corinthians vai contra ao que estava previsto no protocolo de cuidados da própria FPF, que previa a realização de testes antes de todas as partidas e monitoramento contínuo de sintomas dos atletas.

Corinthians isolado na concentração

O clube alvinegro alega não ser necessário realizar os exames porque nos últimos dias os jogadores não tem saído da concentração do clube, exceto para disputar as partidas do Campeonato Paulista, que são realizadas com os portões fechados. O Palmeiras está com uma programação diferente para o elenco e tem permitido que os atletas vão para casa quando não é véspera de jogos.

Na semana passada o Red Bull Bragantino recebeu erradamente 26 resultados positivos de testes de coronavírus antes de enfrentar o Corinthians, no Morumbi. Os nove jogadores, quatro integrantes da comissão técnica e 13 demais funcionários foram afastados, mas dias depois, horas antes da partida, o Hospital Albert Einstein informou que os exames, na verdade, tinham dado negativos.

O que diz o protocolo do Paulistão

O documento elaborado pela FPF prevê que os times seriam testados pela entidade no início do período de isolamento, no fim de junho. Depois, os elencos teriam de ser mantidos em regime de concentração após o fim do Estadual. "O protocolo prevê que todos os 16 clubes fiquem concentrados em locais previamente definidos e preparados durante todo período de jogos da competição. Isso permite maior controle das variáveis por serem grupos fechados e previamente testados, sob maior supervisão", explica o texto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.