Don Emmert/ AFP
Don Emmert/ AFP

Corte de Brooklyn marca sentença de José Maria Marin para 4 de abril

Preso desde 22 de dezembro, ex-presidente da CBF conhecerá sua pena pelos crimes de corrupção passiva

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2018 | 00h00

A juíza Pamela Chen, da Corte do Brooklin, marcou para 4 de abril a divulgação da sentença de José Maria Marin. O ex-presidente da CBF foi condenado por crimes como fraude financeira, lavagem de dinheiro e organização criminosa e está preso desde 22 de dezembro no Centro Metropolitano de Detenção, também no distrito do Brooklin.

+ Marin: A dura rotina no Centro de Detenção Metropolitana do Brooklyn

+ Defesa reforça culpa de Marin para livrar Del Nero na Fifa

Marin pode ser condenado a até 120 anos de prisão. Mas em função de sua idade avançada, a pena deverá ser menor. A própria juíz Chen, ao fim do julgamento que durou cerca de seis semana, disse que pelos seus cálculos, ele ficará no mínimo dez anos na cadeia.

Marin foi considerado culpado na última sessão da Corte antes do Natal. Ele foi acusado de sete crimes: conspiração para recebimento de dinheiro ilícito, conspiração para fraude relativa à Libertadores, conspiração para lavagem de dinheiro relativa à Copa Libertadores, conspiração para fraude relativa à Copa do Brasil, conspiração para lavagem de dinheiro relativa à Copa do Brasil, conspiração para fraude relativa à Copa América e conspiração para lavagem de dinheiro relativa à Copa América. Ele só foi inocentado da acusação de lavagem de dinheiro na Copa do Brasil.

O ex-presidente da CBF é acusado ainda de ter recebido US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 21,6 milhões na cotação atual) desde que assumiu o comando da entidade, em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.