Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Cuca lamenta derrota do Santos no Mineirão: 'Merecíamos vencer'

Alvinegro perdeu invencibilidade de nove jogos após revés para o Cruzeiro

Estadão Conteúdo

23 Setembro 2018 | 22h34

O técnico Cuca não escondeu a decepção pela derrota do Santos para o Cruzeiro por 2 a 1, na noite deste domingo, no Mineirão, em Belo Horizonte. O time da casa jogou com uma equipe quase toda reserva, em função do jogo da Copa do Brasil na próxima quarta.

"No geral, fomos melhores e merecíamos melhor sorte. Pecamos na finalização. Pela importância das defesas que o Fábio fez, pode-se dizer que foi o melhor em campo. Ele pegou quatro, cinco bolas à queima-roupa", lamentou o treinador santista, ao fim da partida válida pela 26ª rodada do Brasileirão. "Dói porque merecíamos ganhar o jogo."

O Cruzeiro saiu na frente, mas o Santos buscou o empate. E, no segundo tempo, o time santista criou oportunidades para conquistar a virada no marcador. As chances perdidas, contudo, pesaram para o resultado negativo, na avaliação de Cuca.

"São coisas do futebol. Ter de administrar um mau resultado num dia que você joga bem, até melhor que o adversário. Em termos de finalização, as coisas não deram certo. Entramos na cara do goleiro três ou quatro vezes. São jogos assim que fica aquele receio que você vai acabar tomando o gol. E foi o que aconteceu."

Cuca reclamou de um suposto pênalti não marcado em favor do Santos, sobre o atacante Gabriel. Mas evitou criticar a arbitragem. "Tivemos um pênalti não marcado. Não é choro, mas é realidade. Poderíamos ter encaminhado a vitória. Quando ganhamos aqui de 2 a 1, pela Copa do Brasil, não jogamos tão bem quanto hoje", comparou.

Com a derrota, o time de Cuca perdeu uma invencibilidade que já durava nove jogos. O alvinegro estacionou nos 32 pontos, dez atrás do Atlético-MG, na décima colocação, mas com um jogo a menos que os demais concorrentes. Ou seja, perdeu a oportunidade de se aproximar do G-6, a zona de classificação para a próxima edição da Libertadores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.