Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Dedé consolida volta por cima na carreira com título da Copa do Brasil

Zagueiro teve excelente atuação na final contra o Corinthians

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

18 Outubro 2018 | 00h18

Como era de se esperar, a conquista da segunda Copa do Brasil consecutiva, a sexta na história do Cruzeiro, foi bastante comemorada pelos jogadores. Mas talvez ninguém no elenco celeste tenha tanto motivo para celebrar este troféu quanto Dedé. Afinal, o título do torneio nacional consolidou a volta por cima do zagueiro nesta fase da carreira.

"Hoje eu posso coroar isso com o título e jogando, ajudando muitos meus companheiros. Queria agradecer muito a Deus, Nossa Senhora Aparecida, meus familiares, minha mãe, meu filho e a esses caras aqui. Estou muito feliz, esse título vai ficar marcado pelo resto da vida com um gostinho diferente", afirmou o zagueiro.

Chamado de "Mito" pelos torcedores desde a época de Vasco e considerado um dos grandes zagueiros brasileiros dos últimos tempos, Dedé viveu anos de esquecimento. Não por falhas ou uma queda técnica, mas sim por insistentes problemas físicos que o impediam de entrar em campo.

Ele se tornou o jogador mais caro da história do Cruzeiro ao ser contratado junto ao Vasco em 2013 por R$ 14 milhões. E seu início no clube foi animador. O zagueiro se destacou na conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano e se tornou presença frequente na seleção.

Em 2014, Dedé viveu a decepção de ficar de fora da Copa do Mundo do Brasil, mas voltou a ser fundamental na conquista do Brasileirão. Na semifinal da Copa do Brasil diante do Santos, porém, sofreu grave lesão no joelho direito. Mal sabia ele que este seria o início de um pesadelo que duraria mais de três anos.

Depois da cirurgia para a correção do problema, Dedé voltou a ser operado em abril de 2015 para a retirada de parafusos do local. Quando tentava retornar já em 2016, sofreu uma fratura na patela do mesmo joelho e, meses depois, foi submetido a nova operação. No ano passado, novamente quando buscava se restabelecer, viu um outro problema no joelho, desta vez o esquerdo, exigir intervenção cirúrgica.

Foram três temporadas praticamente sem entrar em campo, até o retorno em fevereiro deste ano. Aos poucos, Dedé recuperou a própria confiança em seu futebol. Depois, reconquistou a titularidade no Cruzeiro. A partir daí, voltou a mostrar o antigo desempenho, se firmou como um dos grandes nomes do Brasil na posição e, inclusive, voltou a ser lembrado para a seleção brasileira.

Para coroar tudo isso, o sonhado título da Copa do Brasil, com sabor especial. Afinal, ao contrário de 2017, este teve participação direta e fundamental de Dedé. O jogador foi um dos principais destaques do Cruzeiro no torneio e um dos responsáveis por anular o ataque do Corinthians na decisão.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.