Rubens Chiri / saopaulofc.net
Rubens Chiri / saopaulofc.net

Liziero é elogiado por Aguirre após ter nome gritado pela torcida

Jovem da base do São Paulo foi substituído com dores na panturrilha, mas não preocupa para jogo da volta

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2018 | 07h00

O garoto Liziero, de apenas 20 anos, é o novo xodó da torcida do São Paulo. Revelado nas categorias de base do Tricolor, o volante subiu para o time principal há somente duas semanas e ganhou a confiança do torcedor principalmente depois da boa atuação no clássico com o Corinthians, domingo, quando mostrou maturidade e foi um dos destaques da vitória por 1 a 0 no Morumbi.

+ Carille reclama de 'falta de educação' de Aguirre, e uruguaio se defende

+ Jogadores do São Paulo destacam 'determinação' em vitória sobre o Corinthians

+ Aguirre já vê mudanças no São Paulo: 'Mentalidade vencedora'

"A hora que a torcida estava gritando meu nome, parei para ver se era mesmo Liziero que eu estava ouvindo. Nunca tinha jogado com um púbico assim. Fico feliz com o reconhecimento da torcida", admitiu o garoto.

Liziero foi uma das apostas do técnico Diego Aguirre para controlar a posse de bola no meio de campo e, assim, dominar o Corinthians. A estratégia deu certo e o São Paulo tomou conta do jogo. "Aguirre queria surpreender e escalou três volantes, mas eu tinha liberdade para apoiar o time quando surgisse espaço", explicou.

Aguirre fez questão de elogiar a boa atuação do garoto. "É um menino que jogou bem e tem de aproveitar as oportunidades. Ele ajudou no equilíbrio defensivo e, como é canhoto, jogou por fora. Ofensivamente também foi muito bem", disse o treinador.

Com dores na panturrilha, Lizieiro foi substituído aos 28 minutos do segundo tempo por Araruna, mas não preocupa para a segunda partida da semifinal contra o Corinthians, quarta-feira, em Itaquera. "Eu estava de férias e, por isso, sinto um pouco a parte física ainda. Senti câimbra, cansei um pouquinho, mas agora é só recuperar que estou pronto."

O São Paulo tem a vantagem do empate no segundo jogo da semifinal. Se perder por um gol de diferença, a decisão da vaga na final vai para os pênaltis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.