Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Derrota não abala confiança dos jogadores do Santos

David Braz e Vecchio dizem que o time precisa de mais tempo para se ajeitar e que a torcida precisa ter paciência

O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2018 | 10h15

A derrota no clássico para o Palmeiras não abalou a confiança dos jogadores do Santos, tampouco a do técnico Jair Ventura. Mesmo lamentando o resultado adverso de 2 a 1 no Allianz Parque, o zagueiro David Braz saiu em defesa da "boa" apresentação do time da Vila Belmiro. Parte do entendimento do elenco sobre a condição do time no Estadual, apesar da derrota, diz respeito à liderança do grupo e no reforço com a iminente estreia de Gabriel, que não foi relacionado para o duelo com o Palmeiras por decisão do treinador.

+ Confira a classificação do Campeonato Paulista

"O campeonato não acabou, nós até conversamos sobre isso no vestiário", disse o zagueiro. "Perdemos, estamos chateados, mas ainda tem muita coisa para acontecer na disputa. Além disso, estamos em primeiro no nosso grupo", disse David Braz. Jair assumiu um time desfigurado com as saídas de Ricardo Oliveira e Lucas Lima. Mesmo assim, vem tentando reformar a equipe. Sua decisão de não escalar Gabriel partiu por causa do planejamento que ele fez para o atacante em seu retorno da Europa e também, segundo ele, porque precisava avaliar alguns atletas durante a partida.

 

O Santos também sofre nesse começo de ano com a quantidade de lesões, o que enfraquece o elenco. "A gente precisa ter paciência", disse o jogador. "Logo no começo do campeonato, perdemos o Lucas Veríssimo e o Bruno Henrique, que é um jogador importante. E contra o Palmeiras perdemos mais dois (Sasha e Luiz Felipe). Ainda assim, tivemos nossas chances." David Braz também admitiu que o Santos oscila nesse início e que a torcida precisa ter mais calma com o elenco em formação.

Uma das boas redescobertas do Santos na temporada é Vecchio. O meia argentino tem sido fundamental na condução da bola do time no meio de campo. Sobre o jogo com o Palmeiras, ele admitiu que o primeiro gol do rival logo cedo, aos 2 minutos, bagunçou um pouco a proposta santista. "O Palmeiras fez gols no início dos dois tempos. Isso atrapalha um pouco. Foi um jogo parelho. Perdemos nos detalhes. É início de temporada. O Jair tem um planejamento. O primeiro objetivo é classificar e ir para o mata-mata", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.