JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Em fim de contrato, Prass recusa propostas e quer ficar no Palmeiras

Goleiro de 40 anos ganha chance de ser titular contra o Atlético-PR e tem vínculo com clube somente até dezembro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

06 Setembro 2018 | 11h00

O jogador do elenco atual do Palmeiras com mais partidas pelo clube e um dos mais idolatrados pela torcida vive atualmente uma situação diferente. O goleiro Fernando Prass ganhou chance de atuar nesta quarta-feira na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque, depois de quase quatro meses sem entrar em campo e após a partida deu mais detalhes sobre o momento de indefinição que atravessa na carreira.

Aos 40 anos, o goleiro tem contrato até dezembro. Como ainda não houve conversas com a diretoria para renovar, ele disse ter recusado oportunidades para defender outras equipes. "Já tive duas ou três situações. Mas eu agradeci e deixei bem claro durante essas consultas. Eu não vou pedir de maneira nenhuma para ir embora do Palmeiras", disse Prass, que chegou ao clube em dezembro de 2012.

O veterano disputou apenas a quinta partida no ano. A chance anterior havia sido em maio, ao defender o time em jogo da Copa Libertadores contra o Junior Barranquilla. Nos encontros recentes o goleiro ficou como terceira opção, ao ser preterido pelo titular Weverton e pelo reserva imediato, Jailson. Na temporada passada Prass também demorou para renovar o contrato e só assegurou a permanência em novembro.

"Tenho que trabalhar e quando receber as minhas oportunidades, fazer o melhor possível para que no fim do ano eu seja merecedor na avaliação do treinador e da direção para ficar mais um tempo aqui. Se não for, vou seguir meu caminho em outra equipe. Meu pensamento é óbvio: quero permanecer aqui", comentou o goleiro palmeirense, que pelo clube ganhou a Série B de 2013, a Copa do Brasil de 2015 e o Campeonato Brasileiro de 2016.

Prass disse que mesmo na reserva, tem procurado ajudar. "Existem várias formas de contribuir. Uma delas é dentro de campo e a outra é de fora. Com a experiência e a idade, a gente passou por muita coisa e procura ajudar os companheiros", afirmou. O goleiro ganhou chance pois Weverton foi poupado e Jailson se recuperou há poucos dias de dores no ombro.

O técnico Luiz Felipe Scolari elogiou o empenho de Prass no Palmeiras e disse confiar nos três goleiros. "Eu não me preocupo em quem colocar, porque tenho bons jogadores. Tenho neste time algo que não tinha em alguns times, a forma como eles se uniram pela vitória. É bom de trabalhar", comentou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.