Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Em reestreia de Dorival, Fla tenta bater Bahia em Salvador e voltar aos trilhos

Equipe rubro-negra está na 4ª colocação com 48 pontos, apenas três atrás do líder São Paulo

Estadão Conteúdo

29 Setembro 2018 | 15h38

O Flamengo volta a campo pelo Campeonato Brasileiro neste sábado, às 21 horas, contra o Bahia, na Fonte Nova, em Salvador, após viver dias tensos e decepcionantes para os seus torcedores. Após o time ser eliminado pelo Corinthians na semifinal da Copa do Brasil, na noite da última quarta-feira, em São Paulo, a diretoria rubro-negra anunciou a demissão do técnico Maurício Barbieri nesta sexta pela manhã e, horas mais tarde, confirmou Dorival Júnior como substituto.

O novo comandante já viajou na última sexta mesmo para a capital baiana e, mesmo sem ter dirigido sequer um único treino pela equipe, estará no banco de reservas à frente do time na noite deste sábado para reestrear pelo clube. Essa será a sua segunda passagem como técnico do Fla, que ele dirigiu anteriormente entre o fim de julho de 2012 e a primeira quinzena de março de 2013.

Primeiro treinador demitido por Eduardo Bandeira de Mello após o dirigente assumir a presidência do clube, em janeiro daquele ano, Dorival esteve à frente do Flamengo em 37 jogos, com 15 vitórias, 12 empates e 10 derrotas (aproveitamento de 51,3%). E saiu sem deixar saudade, pois neste período não conquistou nenhum título.

Com 48 pontos, o Flamengo assumirá a ponta provisória da tabela se derrotar o Bahia. Vai alcançar os mesmos 51 pontos do líder São Paulo, mas ultrapassará o time paulista em número de vitórias, primeiro critério de desempate. Palmeiras e Internacional, ambos com 50 pontos e respectivos vice-líder e terceiro colocado, só jogarão no domingo por esta 27ª rodada, assim como ocorre com o clube do Morumbi.

Escolhido como substituto de Barbieri, Dorival acertou acordo apenas até dezembro. Assim, terá 12 rodadas para tentar fazer o Flamengo alcançar o sonhado título deste Brasileirão ou pelo menos assegurar vaga direta na fase de grupos da Libertadores de 2019. Ele estava sem dirigir uma equipe desde março, quando foi demitido justamente pelo São Paulo um dia após uma derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, em clássico no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista.

Para este duelo diante do Bahia, Dorival não poderá contar com o goleiro Diego Alves, que lesionou a coxa no jogo contra o Corinthians, na quarta-feira, assim como não terá o meia Diego, também com um problema muscular na coxa. Os dois sequer viajaram a Salvador e voltaram ao Rio após trabalho regenerativo realizado na tarde de quinta, em São Paulo. O mesmo aconteceu com o atacante Henrique Dourado, desfalque na capital baiana por estar suspenso.

Como Dorival vai estrear sem ter dirigido nenhum treino, é difícil prever qual será o time titular. Mas César deverá entrar no gol, enquanto Vitinho desponta como possível substituto de Diego após entrar no lugar do meia no decorrer da partida contra o Corinthians. Já para o lugar de Dourado no ataque, Lincoln, Marlos Moreno e Uribe seriam as principais opções, mas Dorival pediu que Geuvânio, que não vinha tendo espaço no time com Barbieri, viajasse na noite desta sexta-feira para se juntar aos companheiros de time em Salvador. O atacante é velho conhecido do novo treinador rubro-negro, que dirigiu o jogador por um bom tempo no Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.