Reprodução
Reprodução

Entenda o que é paralaxe e qual a relação dela com o impedimento e o VAR

Termo utilizado na física e astronomia passa a ser utilizado no futebol para ajudar a explicar lances polêmicos

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2020 | 12h01

As discussões sobre impedimento e a utilização do árbitro de vídeo (VAR) nos jogos do Campeonato Brasileiro passaram a envolver até mesmo termos de física e astronomia. A reclamação insistente dos são-paulinos pela anulação do gol do atacante Luciano contra o Atlético-MG, nesta quinta-feira, no Mineirão, encontra explicação em um conceito chamado paralaxe. A palavra de origem grega que significa alteração aparece agora com mais frequência no vocabulário de árbitros e assistentes.

"A paralaxe é a mudança de um objeto em função dos momentos relativos para o observador. A paralaxe é tanto menor quanto mais afastado está o objeto de você", explicou o professor de física do cursinho Hexag, Arnaldo Nobre. Ou seja, a paralaxe é a aparente mudança de localização de um objeto conforme é observado por observadores posicionados em locais distintos. Por isso, nem sempre a imagem que é mostrada pela televisão é o ângulo mais favorável e exato para se analisar se o atacante está ou não posicionado.

Uma experiência comum em laboratórios e escolas para se mostrar a paralaxe está na colocação de dois pregos alinhados e fixos em uma prancha de madeira, mas distantes entre si por alguns centímetros. Se um observador estiver parado exatamente atrás de um dos pregos, vai conseguir observar que os dois estão corretamente na mesma linha. Porém, caso a pessoa estiver alguns centímetros para o lado, terá a impressão errada de que um prego está desalinhado do outro.

"Do jeito como está organizado o campo e as regras do futebol, não levaram em conta a paralaxe. Para aumentar a capacidade dos juízes, seria preciso ter um campo mais largo e maior, para ampliar o ângulo de visão, mas desde que o observador esteja na mesma linha do defensor", afirmou Nobre. Segundo o professor, o ângulo de paralaxes é bastante utilizado na astronomia para calcular o distanciamento de estrelas e astros.

"Erro de paralaxe é quando a gente se encontra em um local de observação que não vai nos dar a verdadeira posição do jogador", explicou o professor de física Douglas Gomes, que realizou no YouTube uma aula especial sobre futebol e paralaxe. A única forma de um observador ter a certeza sobre se houve ou não impedimento no lance é ter uma posição exata: milimetricamente alinhada com o penúltimo defensor. Assim, o assistente tem a segurança para decidir.

"Um árbitro corretamente posicionado deve se alinhar com o penúltimo jogador da defesa. Assim ele vai conseguir perceber corretamente que o atacante está avançado. Mas se o árbitro estiver muito adiantado no campo, não vai conseguir perceber o lance", afirmou o professor Douglas. Portanto, quem estiver em uma posição desalinhada, terá certamente uma visão equivocada sobre a localização dos objetos.

Como no futebol os lances são milimétricos e rápidos, o VAR mantido pela CBF tem a missão de compensar as diferença de perspectivas e ajudar o árbitro. Por isso, são utilizadas até 16 câmeras para se ter uma noção completa de análise. Na Copa da Rússia, a Fifa utilizou até mais equipamentos: 32 em cada partida. A tecnologia permite traçar linhas verticais para se ter no chão a real posição do jogador e se o momento em questão é ou não um impedimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.