Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Estreia no piso sintético reforça as principais apostas do Palmeiras para 2020

Clube faz primeiro jogo na grama artificial e comemora também a ascensão dos garotos e boa estreia de Viña

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2020 | 04h30

Em uma mesma tarde, o Palmeiras conseguiu importantes resultados para a sequência da temporada. A vitória de virada por 3 a 1 sobre o Mirassol, pelo Campeonato Paulista, no Allianz Parque, neste domingo, indicou ao time que as principais apostas para o ano têm tudo para dar certo. O gramado sintético foi aprovado, o único reforço contratado teve boa estreia e os garotos recém-promovidos da base voltaram a se destacar.

A equipe resolveu o jogo no segundo tempo, após uma primeira etapa de pouca criatividade. O Mirassol saiu na frente na etapa final com Rafael Silva, aos 14 minutos, mas depois o Palmeiras conseguiu virar com três gols em um intervalo de oito minutos. Gómez, da cabeça, e depois Raphael Veiga e Luiz Adriano marcaram.

Após o jogo, o assunto principal nas entrevistas foi o gramado sintético. O piso levou três semanas para ser instalado na arena e foi testado em tarde com chuva forte antes do jogo. Os jogadores aprovaram. O goleiro Weverton teve a experiência prévia de atuar no campo sintético do Athletico-PR, onde jogou até 2017, e disse ter gostado do novo piso palmeirense. "O legal é que a bola anda bem. Não tem problema de buraco ou qualidade ruim. Choveu bastante antes do jogo, mas isso não interferiu", afirmou.

A vitória sobre o Mirassol serviu para os garotos do time ganharem espaço. Depois de na partida anterior, contra a Ponte Preta, nenhum jogador da base ter sido titular, a equipe mudou de estratégia. Veron e Patrick de Paula começaram a partida. No segundo tempo, foi a vez de Gabriel Menino entrar. Todos foram promovidos recentemente ao elenco profissional.  

O técnico Vanderlei Luxemburgo elogiou a atuação de todos. Menino e Veron deram até assistência. "É importante saber a hora de tirar e colocar um garoto. É por aí que se lança um menino. Se tiver 16 anos e souber jogar bola, prefiro colocá-lo do que um atleta de 35 que não joga nada", comparou.

Um dos destaques do jogo, o volante Patrick de Paula disse que mesmo após poucos jogos na temporada, já se sente mais adaptado. "A gente vem da base preparado, mas o profissional é diferente. Hoje depois de alguns jogos eu me sinto mais experiente", comentou.

Quem também mereceu elogios foi o lateral-esquerdo Matías Viña. A única contratação trazida pela diretoria até agora mostrou boa capacidade de ajudar o ataque e recebeu aplausos da torcida em algumas das investidas ofensivas. Com apenas 22 anos, o uruguaio é considerado muito promissor. "É um jogador que a gente vê que tem potencial. Tem marcação boa, tempo de bola bom, e gosta de ir para frente", disse Luxemburgo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.