Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Corinthians vive momento instável e Carille luta contra má fase

Instabilidade do time é algo inédito para o treinador, que tenta fazer equipe voltar a vencer após quatro partidas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 07h01

Fábio Carille vive um momento inédito em sua trajetória como treinador no Corinthians. Pela primeira vez, ele amarga uma sequência de resultados ruins e terá pela frente três jogos decisivos, em que se a má fase continuar, os objetivos traçados para a temporada poderão ficar comprometidos.

+ Rodriguinho volta aos treinos, mas Carille adota o mistério

+ Meia do ABC deve ter chegada ao Corinthians antecipada

São quatro jogos sem vitórias – foram dois empates e duas derrotas. Ficar tanto tempo sem vencer é algo que já aconteceu no ano passado, mas em uma circunstância bem mais confortável. O Corinthians liderava o Brasileirão com folgas e os tropeços fizeram apenas com que se criasse uma perspectiva de que o time poderia perder o fôlego na reta final do Brasileirão e ficar sem a taça.

Atualmente, a situação é bem diferente. Os tropeços fizeram o time alvinegro perder a liderança do Brasileiro, ver a classificação para a Libertadores como algo incerto e a ameaça de mais uma vez ser eliminado em casa na Copa do Brasil.

“Nos incomoda essa situação e a gente tem se cobrado bastante quanto a isso. Desde que o Fábio assumiu, passamos por isso poucas vezes, mas a gente consegue dar a volta por cima”, comentou o volante Maycon, que nega ver o elenco com responsabilidade muito maior do que o Vitória, adversário desta quinta-feira. “Eles já tiraram a nossa invencibilidade (no ano passado). É uma equipe perigosa e que tem um trio ofensivo perigoso”, argumentou.

Na quinta-feira, o duelo é com o Vitória. No primeiro jogo, o placar foi de 0 a 0, em Salvador. Mais um empate e a decisão vai para os pênaltis. No ano passado, o time foi eliminado em casa, pelo Internacional. Já no domingo, o duelo é o clássico com o Palmeiras, pelo Brasileiro, no primeiro encontro após a decisão do Paulistão. 

A sequência decisiva se encerra na quarta-feira, diante do Deportivo Lara, em Barquisimeto. Líder da Libertadores com sete pontos, o time alvinegro vê a equipe venezuelana e o Independiente logo abaixo, com seis, e o Millonarios somando quatro. Um tropeço fora de casa e a vaga fica ameaçada.

Por enquanto, a situação de Carille é confortável e mesmo que a equipe não consiga os resultados esperados, ele não corre risco. A diretoria entende que é normal a instabilidade e o fato do elenco sentir o cansaço pelas diversas viagens também é algo que ameniza a pressão sobre o trabalho do treinador. 

Novas opções  

Para fazer o Corinthians voltar a jogar bem e conseguir bons resultados, Carille tem algumas opções que podem fazer a diferença no banco de reservas. A principal delas é o atacante Pedrinho. Apesar do empate com o Ceará, o jovem de 20 anos foi um dos destaques da partida e aumentou ainda mais a pressão para que ele tenha maiores oportunidades.

Carille alega que o menino não tem condições físicas para suportar 90 minutos e por isso não tem sido tão utilizado. Outra opção, então, poderia ser a volta do esquema tático com um centroavante, após a chegada de Roger. O treinador admite tal possibilidade, mas acha pouco provável efetuar a mudança antes da Copa. Ele quer tempo para treinar. 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.