Sebatian Gollnow / AFP
Sebatian Gollnow / AFP

Federer exalta Nadal após 11º título em Roland Garros: 'Temos que reverenciá-lo'

Suíço se ausentou da parte da temporada com principais torneios no saibro, visando ir bem na grama

Estadão Conteúdo

11 Junho 2018 | 13h18

O suíço Roger Federer concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira em Stuttgart, na Alemanha, e reverenciou seu principal rival das quadras, o espanhol Rafael Nadal, que no domingo ergueu o troféu de Roland Garros pela 11ª vez na carreira.

+ Nadal sustenta liderança do ranking e Del Potro sobe para o 4º lugar

+ Halep mantém ponta e Stephens é a nova 4ª do ranking; Bia deixa Top 100

"É incrível. A todos os jogadores do circuito não há outra coisa a ser feita do que uma reverência a ele. Só cabe a ele os superlativos", afirmou. "Ganhar um torneio 11 vezes é algo quase impensável. É uma das coisas mais incríveis que existem", acrescentou o suíço.

Federer está fora de combate há dois meses. Pelo terceiro ano consecutivo ele optou por se ausentar da temporada europeia no saibro. Sua volta às quadras está programada para quarta-feira, na grama, no Torneio de Stuttgart. Cabeça de chave número um da competição, ele estreará já na segunda rodada contra o alemão Mischa Zverev, número 54 do mundo, que nesta segunda-feira bateu o russo Mikhail Youzhny por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5) e 6/3.

O suíço, atual número 2 do ranking da ATP, atrás apenas de Nadal, não disputa um torneio desde 24 de março, quando foi eliminado na segunda rodada em Miami contra o australiano Thanasi Kokkinakis. "Gostaria de algum dia ter mais uma batalha contra Nadal em Roland Garros, mas o momento é de focar em Wimbledon. Para mim, ganhar ali é o que tem de melhor no circuito", disse.

 

Apesar de rasgar elogios ao tenista espanhol, Federer admitiu que não assistiu à decisão de Roland Garros, porque aconteceu durante a viagem da Basileia, na Suíça, para Stuttgart. E logo após o desembarque, foi realizar um treino físico.

O Torneio de Stuttgart, um ATP 250, representa para Federer mais do que o retorno às quadras. Caso o suíço chegue à final da competição, ele roubará a primeira colocação no ranking de Nadal. Atualmente, apenas 100 pontos separam os dois tenistas.

Na sequência dessa competição, Federer seguirá na Alemanha para disputar o Torneio de Halle, onde foi campeão em 2017, e depois entrará em quadra em Wimbledon, onde buscará sua nona conquista. O Grand Slam inglês acontecerá de 2 a 15 de julho. Curiosamente, a final do torneio ocorrerá no mesmo dia da decisão da Copa do Mundo de futebol.

Mais conteúdo sobre:
tênis Roger Federer Rafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.