Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Corinthians convoca torcida para novo treino aberto antes da final

Equipe terminará preparação para decisão diante dos torcedores na próxima terça, 16

João Prata / Enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

11 Outubro 2018 | 10h00

A torcida do Corinthians terá mais uma vez que mostrar a sua força para o time buscar a virada na Copa do Brasil. A diretoria sabe da importância da Fiel e nesta quinta-feira deve oficializar o treino aberto na próxima terça, na véspera do segundo jogo da final contra o Cruzeiro.

O esquema, conforme antecipou há duas semanas ao Estado o diretor social do clube, Carlos Elias, deve ser semelhante ao que antecedeu o duelo contra o Flamengo pela semifinal. O torcedor poderá trocar o ingresso por um quilo de alimento. E quem é sócio-torcedor bastará apresentar seu cartão na entrada. A expectativa é receber cerca de 40 mil torcedores. A ideia é fazer o ataque acordar e reverter a vantagem do adversário.

Mesmo na derrota para o Cruzeiro por 1 a 0, mesmo no Mineirão, e mesmo em menor número, os torcedores corintianos fizeram mais barulho que o do time anfitrião. Foram cerca de dois mil fiéis que não pararam de cantar nos 90 minutos de sofrimento que foi o jogo em Belo Horizonte.

O Corinthians não chutou no gol cruzeirense, mas a voz nas arquibancadas tentava jogar junto. O restante do estádio assistia à festa dos visitante sem reação. Em um impulso para que o Cruzeiro ampliasse o placar, a maioria apenas gritou no segundo tempo: "mais um, mais um". 

A Fiel seguia firme e forte, cantando sem ficar rouco. Mesmo assim, o barulho não foi suficiente para acordar o quarteto ofensivo, que pouco produziu. Ao final, mesmo com o fraco futebol apresentado, os torcedores corintianos não arrefeceram. 

Mantiveram  o apoio à equipe, que fez um jogo muito fraco: "Eu nunca vou te abandonar. Porque eu sou Corinthians", cantavam enquanto os cruzeirenses deixavam o estádio em silêncio, satisfeitos com a vitória, sabendo que poderia ser mais e preocupados com a volta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.