Rubens Chiri/ São Paulo
Rubens Chiri/ São Paulo

Jardine promete 'melhor partida do ano' do São Paulo na quarta-feira

Treinador diz que seu limite no clube será quando observar que equipe não responde mais ao seu comando

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2019 | 21h52

André Jardine não tem mais de onde buscar respostas para a má fase do São Paulo, que o deixa em situação cada vez mais delicada no cargo. Neste sábado, após a derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, em Campinas, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, o treinador se apegou à atmosfera prevista para a partida da próxima quarta-feira, contra o Talleres-ARG, no Morumbi, para prometer outra postura de seus comandados.

"É o momento de todos, direção, comissão, jogadores e a torcida, virarmos a página. Estamos passando por um momento difícil, mas na quarta-feira temos todos de unir forças e puxar a corda para o mesmo lado. O São Paulo como clube precisa de mobilização total, é o retorno ao nosso estádio, vai ser atmosfera completamente diferente do que foi hoje. O time vai entrar aguerrido, concentrado, e vamos fazer nossa melhor partida do ano, não tenho dúvida", prometeu o comandante.

Questionado sobre qual seria seu limite para entender quando não teria mais o que fazer para melhorar o rendimento do time, Jardine respondeu: "Meu limite é enquanto eu entender que o grupo está tentando e comprometido. Eu mesmo, quando observar que o grupo não atende a mim ou responde a mim, não me sentirei apto a comandar. Mas não é o caso. Temos só um treinamento praticamente até quarta-feira, corríamos o risco de perder hoje. Esperamos que quarta-feira as coisas ocorram".

Por fim, quando perguntado a respeito do que estaria faltando ao São Paulo, o treinador afirmou: "Precisamos ser agressivos, ter capacidade de construção das nossas jogadas. Vai ser um jogo duelado", disse, referindo-se à partida contra o Talleres-ARG. Derrotado por 2 a 0 na Argentina, o clube do Morumbi precisa, no mínimo, devolver o placar para levar a disputa às penalidades. Classificação direta, só com vitória por três gols de vantagem.

"Fisicamente, precisamos dar um passo à frente. Jogar hoje tinha esse objetivo, ter mais intensidade, ganhar todas as bolas. Perdemos para o Talleres, temos vários pontos para evolução, e vamos fazer toda a força do mundo, entrando no limite da concentração, da mobilização, para superar o Talleres. Contamos também com a qualidade dos nossos jogadores, porque sabemos que vamos criar. É o dia de a nossa bola entrar, e a deles não", finalizou Jardine.

 
Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.