Divulgação|CNF
Divulgação|CNF

Kleina lamenta expulsões em derrota da Chapecoense na Libertadores

Equipe brasileira sai atrás do Nacional do Uruguai em duelo pela fase preliminar do torneio

Estadao Conteudo

01 de fevereiro de 2018 | 12h18

A Chapecoense decepcionou na sua estreia na fase preliminar da Copa Libertadores. Na noite de quarta-feira, na Arena Condá, o time perdeu para o Nacional do Uruguai por 1 a 0, se complicando na busca pela classificação à etapa que antecede a fase de grupos da competição. Em entrevista coletiva, o técnico Gilson Kleina pediu calma para se evitar avaliações precipitadas sobre o time.

"Temos que ter calma e tranquilidade para não achar que com uma derrota está tudo errado e começar a descaracterizar o time", afirmou Kleina, que ainda não havia perdido no comando da Chapecoense e vinha realizando um bom começo de temporada, na liderança do Campeonato Catarinense, com dez pontos somados em quatro jogos.

Durante o segundo tempo do duelo, a Chapecoense chegou a ficar em superioridade numérica após a expulsão de Alfonso Espino, aos 32 minutos. Mas pouco depois, foi o time catarinense quem teve dois jogadores recebendo o cartão vermelho - Perotti e Eduardo.

Kleina lamentou as expulsões e a chance perdida de reagir no jogo quando a equipe catarinense tinha um jogador a mais em campo. "Tínhamos 20 minutos para trabalhar 11 contra 10, mas infelizmente terminamos o jogo com um homem a menos", comentou.

Apesar da derrota, Kleina acredita que a Chapecoense pode reverter a vantagem do Nacional, na próxima quarta, no Uruguai. "Lá, temos que ter velocidade, sermos aguerridos e fazer com que a bola comece entrar pelo lado do campo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.