Ronald Wittek/EFE
Ronald Wittek/EFE

Lovren se irrita com cobrança por melhora da Croácia: 'Nem o Brasil é perfeito'

Zagueiro reclamou de críticas pelo futebol croata até aqui: 'A gente tem sempre que jogar em alto nível?'

Estadão Conteúdo

05 Julho 2018 | 14h54

O zagueiro Dejan Lovren se irritou nesta quinta-feira com pergunta feita sobre o nível de atuação da Croácia na Copa do Mundo. A seleção croata alcançou as quartas de final de uma edição do torneio pela segunda vez na história e pode repetir a equipe do país que foi semifinalista em 1998, na França, se derrotar a Rússia neste sábado, às 15 horas (de Brasília), em Sochi.

+ Modric diz que avanço às quartas de final 'tirou peso das costas'

+ Tite confirma volta de Marcelo à seleção para jogo com a Bélgica

+ Cavani faz treino separado em campo e segue como dúvida contra a França

"Como assim não estamos jogando em alto nível? A gente sempre tem de jogar em alto nível? Se nem o Brasil foi perfeito em todos os jogos, a gente sempre tem que jogar em alto nível?", questionou o defensor, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, em Adler, nas imediações de Sochi.

Apesar das dificuldades e do empate por 1 a 1 com a Dinamarca, a Croácia venceu por 3 a 2 nos pênaltis e passou das oitavas de final, no último domingo, em Nijni Novgorod. "Jogamos o suficiente. O mais importante é que vamos enfrentar a Rússia nas quartas de final. Esperamos um jogo duro, mas somos experientes e pensamos positivo", afirmou Lovren.

 

Aniversariante do dia, o zagueiro de 29 anos contou o que lembra da campanha da Croácia em 1998. "Eu morava em Munique, na Alemanha, e minha mãe não parava de gritar ao telefone de tanta felicidade. Espero que aqui na Rússia nós possamos fazer uma história bacana", disse o jogador do Liverpool.

Em Adler, o elenco da Croácia comandado por Zlatko Dalic realizou treino nesta quinta-feira, aberto durante 15 minutos a jornalistas e depois fechado para o complemento das atividades.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.