Rubens Chiri/ São Paulo
Rubens Chiri/ São Paulo

Mancini nega possibilidade de assumir São Paulo caso Jardine saia

Novo coordenador de futebol refuta ideia de ser sombra a treinador tricolor

Redação, O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2019 | 04h30

Anunciado nesta semana como novo coordenador de futebol do São Paulo, em cargo que se encontrava vago desde a saída de Ricardo Rocha, após o Campeonato Brasileiro, Vagner Mancini concedeu sua primeira entrevista à imprensa no sábado, na Flórida, onde o clube se encontra reunido para a disputa da Florida Cup, a partir do dia 10.

Treinador até o fim de julho do ano passado, quando se desligou do Vitória, Mancini garantiu que chega exclusivamente para a função de elo entre a comissão técnica e a diretoria, e não vislumbra virar treinador do São Paulo caso André Jardine saia por alguma razão.

"A partir do momento em que sentamos para acertar o contrato, a primeira coisa que eu deixei muito claro é que não há a menor possibilidade de o Vagner Mancini assumir em qualquer hipótese", disse, falando em terceira pessoa. "A minha vinda para cá é exatamente para exercer uma função diferente, função de coordenação, para dar respaldo, para ajudar, levar informação também a outros lados, ao lado da diretoria, ao lado de todos os setores que formam a estrutura do departamento de futebol", completou.

"O Jardine tem o meu apoio incondicional, sabe disso. Até porque já conversamos bastante, inclusive antes do acerto ele me ligou, falando do seu desejo também que eu fizesse parte dessa equipe. As coisas estão muito claras, e tenho certeza de que vão ocorrer da melhor maneira possível", disse Mancini, que se vê motivado para exercer outras atividades no futebol.

"O São Paulo tem a mentalidade de se fortalecer dentro e fora de campo. É importante ter o investimento dentro de campo, para que atleta olhe para fora também e veja uma equipe forte. As atribuições estão voltadas para ser o elo entre diretoria e a parte executiva, que olha de uma forma muito macro até chegar na comissão técnica. Quero dar o respaldo necessário a todos eles para que possam fazer um excelente trabalho no dia a dia", explicou.

Mancini também será responsável pela sistematização de metodologias e processos internos e supervisionará a análise de desempenho e de mercado, além de dar sequência à integração entre o time principal e as categorias de base.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.