Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Na despedida de Jefferson, Erik brilha e dá vitória ao Botafogo sobre o Paraná

Goleiro é ovacionado em seu último jogo na carreira

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

26 de novembro de 2018 | 21h58

Um dos grandes ídolos da história recente do Botafogo, Jefferson fez nesta segunda-feira sua ultima partida como jogador profissional, e com vitória. No capitulo final de sua carreira, o goleiro ajudou o time carioca a derrotar o lanterna Paraná por 2 a 1, no Engenhão, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro.

Se o confronto pouco importava para a competição, o adeus de Jefferson deu um brilho especial à partida. Com bom público no estádio, o goleiro foi ovacionado antes, durante e depois do jogo. Só não pôde fazer nada no chute no ângulo de Alex Santana, no segundo tempo. Erik, porém, garantiu o triunfo com dois gols.

Jefferson deixa o Botafogo após conquistar quatro títulos: três Campeonatos Cariocas (2010, 2013 e 2018) e uma Série B (2015). Foram mais de dez anos com a camisa do clube, que respondeu à dedicação com uma bonita festa nesta segunda, com direito a mosaico e uniforme especial homenageando o goleiro.

Foi o 13.º triunfo do Botafogo, que chegou a 51 pontos, na nona colocação, e fecha sua campanha diante do Atlético-MG, domingo, em Belo Horizonte. Já o Paraná, lanterna com apenas 22 pontos e já rebaixado há algum tempo, tenta se despedir honrosamente diante do Inter, no mesmo dia, em casa.

Antes do apito inicial, Jefferson foi homenageado no centro do gramado pela diretoria e teve seu nome gritado pela torcida, que levantou um mosaico com sua imagem. Ele não aguentou a emoção e chorou com a visita surpresa de sua família. Dona Sonia, sua mãe, estava no estádio pela primeira vez.

Em busca de dar ao goleiro a despedida que merecia, o Botafogo começou com tudo e não demorou para marcar o primeiro. Logo aos seis minutos, Moisés cruzou da esquerda e Erik apareceu sozinho no meio da área para cabecear. Na comemoração, fez questão de levar os companheiros para abraçar Jefferson.

Mas parou por aí. O gol tão cedo fez mal ao Botafogo, que, sem pretensões no campeonato, relaxou demais. O Paraná cresceu, ganhou o campo de ataque, mas esbarrava na própria falta de qualidade. Em duas oportunidades, tentou resolver de longe, mas facilitou o trabalho de Jefferson, que agarrou os dois chutes que foram no gol no primeiro tempo.

A história seguiu igual na etapa final, e Jhonny Lucas, da meia-lua, jogou em cima do goleiro mais uma vez, aos 12 minutos. Só então o Botafogo acordou. Em dois contragolpes, viu Léo Valencia ficar em ótimas condições. Na primeira, demorou para finalizar, mas na segunda, exigiu grande defesa de Richard.

Quando o time da casa parecia retomar o controle, o Paraná chegou ao empate. A defesa do Botafogo bateu cabeça, Andrey aproveitou a sobra e rolou para Alex Santana, que cortou a marcação e finalizou de canhota, no ângulo, sem qualquer chance para Jefferson: um golaço.

Zé Ricardo, então, promoveu o retorno de João Paulo, após oito meses se recuperando de grave lesão na perna. O Botafogo voltou a crescer e, mais uma vez, perdeu grande chance com Léo Valencia, aos 27. Dois minutos mais tarde, porém, Moisés recebeu pela esquerda e cruzou rasteiro. Brenner, impedido, tentou de letra e furou. Mas a sobra ficou com Erik, que marcou de carrinho para coroar a despedida de Jefferson.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 1 PARANÁ

BOTAFOGO - Jefferson; Marcinho, Marcelo Benvenuto, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Gustavo Bochecha (João Paulo) e Léo Valencia (Marcos Vinicius); Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão), Erik e Brenner. Técnico: Zé Ricardo.

PARANÁ - Richard; Wesley Dias, Jesiel, Charles e Igor; Leandro Vilela, Alex Santana e Jhonny Lucas (Alesson); Andrey, Juninho (Rafael Grampola) e Keslley (Felipe Augusto). Técnico: Dado Cavalcanti.

GOLS - Erik, aos seis minutos do primeiro tempo. Alex Santana, aos 18, e Erik, aos 29 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).

CARTÕES AMARELOS - Léo Valencia (Botafogo); Alex Santana, Leandro Vilela, Wesley Dias (Paraná).

RENDA - R$ 301.970,00.

PÚBLICO - 27.600 pagantes (28.972 torcedores).

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio (RJ).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.