Miguel Locatelli/Atlético-PR
Miguel Locatelli/Atlético-PR

Na semi da Sul-Americana, Atlético-PR deve ter time reserva contra Internacional

Apesar de discurso de que todos jogadores são titulares, Tiago Nunes deve poupar nomes como Paulo André e Lucho González

Estadão Conteúdo

04 Novembro 2018 | 08h26

A quatro jogos de uma conquista sul-americana, o Atlético-PR encerrou a preparação para o confronto diante do Internacional, neste domingo, às 19 horas, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, pela 32.ª rodada do Campeonato Brasileiro, dando indícios de que novamente colocaria o time considerado reserva, assim como ocorreu na vitória por 2 a 1 contra o Botafogo, no último final de semana.

O técnico Tiago Nunes tem um discurso na ponta da língua para explicar a decisão. "Todos os jogadores são titulares. Trabalhamos com um plantel e cada atleta tem sua importância dentro dele. Não vamos abrir mão de nenhuma competição, mas traçamos alguns objetivos e vamos cumpri-los. Qualquer adversário do Atlético-PR será tratado com toda seriedade. Vamos sempre buscar os três pontos", discursou.

Na prática, porém, muitos titulares devem ser poupados como aconteceu na rodada passada. No treino final de preparação ocorrido na última sexta-feira, o zagueiro Paulo André e o meia Lucho González sequer subiram para o gramado. Eles foram preservados e não devem nem ficar no banco de reservas. O meia Guilherme, com dores musculares, também está fora. O principal retorno fica por conta do goleiro Santos, que cumpriu suspensão.

Sendo assim, o Atlético-PR deve atuar com um time bastante semelhante ao da partida frente ao Botafogo. A principal dúvida é justamente na vaga de Guilherme. Matheus Rossetto treinou entre os titulares, mas a entrada de Raphael Veiga, que é titular, não está descartada. O lateral-direito Jonathan também foi poupado, sendo substituído por Diego Ferreira.

Na última quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba, o Atlético-PR garantiu a sua vaga nas semifinais da Copa Sul-Americana - vai fazer dois jogos contra o Fluminense. Para chegar à semifinal, perdeu para o Bahia por 1 a 0, no tempo normal, e venceu a disputa dos pênaltis por 4 a 1. Perdeu uma série inédita em casa de 12 vitórias consecutivas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.