Cesar Greco/ SE Palmeiras
Cesar Greco/ SE Palmeiras

Palmeiras empata com o Bahia e soma sétima partida seguida sem vencer na temporada

Jaílson tem noite inspirada, faz defesas difíceis e garante placar zerado na Arena Fonte Nova

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2021 | 23h33

Não foi desta vez que o Palmeiras voltou a vencer na temporada. Nesta terça-feira, o time visitou o Bahia e ficou no empate por 0 a 0, pela 26ª rodada do Brasileirão. O resultado só não foi pior porque o goleiro Jailson fez ótimas defesas. Com a igualdade sem gols, o time paulista somou sua sétima partida seguida sem vencer, contando o torneio nacional e a Copa Libertadores, competição que o alviverde está na final. Estacionou na tabela e vê as chances de título brasileiro cada vez mais distantes. Já o Bahia continua na zona de rebaixamento.

Os desfalques do Palmeiras quase formariam um time. Na defesa as ausências eram o goleiro Weverton, o zagueiro Gustavo Gómez e o lateral Piquerez, todos em suas seleções nacionais. O lateral Marcos Rocha ficou fora por causa de uma lesão na coxa e outros jogadores importantes, como Danilo, Zé Rafael e Breno Lopes também ficaram no departamento médico. Sem contar Willian, que foi poupado para resolver problemas pessoais.

Por tudo isso, o técnico Abel Ferreira optou por promover a entrada de Luiz Adriano no ataque, deixando ele como homem de referência na frente. Com isso Rony ficou um pouco mais recuado e ajudava Dudu a puxar os contra-ataques. Só que no início a estratégia não deu muito certo porque o Bahia estava atuando de forma bem compacta e quase não dava espaço para a velocidade do rival.

Empurrado por sua torcida, que voltou ao estádio pela primeira vez desde que a pandemia de covid-19 começou, o Bahia tentava empurrar o Palmeiras para seu campo e buscava um espaço para tentar chegar ao gol. Mas o time paulista estava bem armado com sua zaga e ainda tendo Felipe Melo protegendo a defesa. Com isso, o goleiro Jaílson quase não era acionado.

Com maior volume de jogo, o Bahia não conseguia ser perigoso e aos poucos o Palmeiras foi se soltando e em duas oportunidades quase marcou. A primeira com Luiz Adriano, aos 37, que chutou da entrada da área e obrigou Danilo Fernandes a fazer ótima defesa. Pouco depois, antes do intervalo, Raphael Veiga arriscou de fora da área e a bola passou com perigo.

Na etapa final, o Bahia melhorou e tomou as rédeas da partida. Para piorar, o Palmeiras ainda perdeu dois jogadores de defesa por lesão, o zagueiro Kuscevic e o lateral Gabriel Menino. Com isso a equipe paulista pouco atacou e ficou se segurando atrás. E via um adversário insistir para abrir o placar.

Foi aí que começou a aparecer o talento do goleiro Jailson. Aos 13 ele salvou o Palmeiras em um chute de primeira de Gilberto. Depois, evitou o gol de Daniel. E ainda parou um toque de Mugni, que desviou na defesa, mas ele estava atento e espalmou. Para piorar, Wesley foi expulso e, com um a menos, as chances de vitória fora de casa diminuíram sensivelmente. A partir daí o Palmeiras só se defendeu para pelo menos trazer um ponto para São Paulo.

FICHA TÉCNICA:

BAHIA 0 x 0 PALMEIRAS

BAHIA: Danilo Fernandes; Nino Paraíba (Renan Guedes), Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick, Lucas Mugni, Daniel (Rodriguinho) e Juninho Capixaba; Gilberto (Ronaldo) e Raí (Rodallega). Técnico: Guto Ferreira.

PALMEIRAS: Jailson; Gabriel Menino (Wesley), Luan, Kuscevic (Renan) e Jorge; Felipe Melo, Patrick de Paula (Danilo Barbosa) e Raphael Veiga; Dudu (Matheus Fernandes), Luiz Adriano (Deyverson) e Rony. Técnico: Abel Ferreira.

JUIZ: Ramon Abbati Abel (SC).

CARTÕES AMARELOS: Kuscevic, Rony, Daniel, Mugni e Ronaldo.

CARTÃO VERMELHO: Wesley.

PÚBLICO: 4.509 pagantes.

RENDA: R$ 61.357,50.

LOCAL: Fonte Nova, em Salvador (BA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.