Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
César Greco / Ag. Palmeiras
César Greco / Ag. Palmeiras

Palmeiras mantém tabu contra o Sport e se consolida na briga pela ponta

Alviverde domina o primeiro tempo e marca com Scarpa; no segundo, recua e suporta a pressão do time pernambucano

Bruno Accorsi, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2021 | 18h23

Sem perder para o Sport em Pernambuco desde 2014, o Palmeiras manteve o tabu ao vencer o adversário por 1 a 0 neste domingo, em jogo válido pela nona rodada do Brasileirão, na Ilha do Retiro, em Recife. O time palmeirense construiu o placar com um gol de Gustavo Scarpa, ainda no primeiro tempo, e segurou o resultado durante toda a etapa final, quando adotou uma postura mais cautelosa.

A vitória suada consolida a equipe comandada por Abel Ferreira na disputa pelas primeiras posições do campeonato, provisoriamente em segundo lugar, com os mesmos 19 pontos do Athletico-PR, que está acima por vantagem no saldo de gols, mesmo com um jogo a menos. Os dois ainda podem ser ultrapassados pelo Red Bull Bragantino. Já o Sport tem seis pontos, com chances de terminar a rodada dentro da zona de rebaixamento.

Nos primeiros minutos de jogo, os dois times mostraram propostas parecidas. Aquele que tinha a bola valorizava a posse e buscava encontrar espaços com paciência, configuração que não durou tanto para o lado do Sport, logo engolido por um Palmeiras mais ligado e organizado. De qualquer maneira, o time paulista evoluiu aos poucos, até tomar totalmente o controle da partida, a partir da segunda metade da etapa inicial.

O goleiro Maílson foi colocado para trabalhar, sem muito esforço, em finalizações de Raphael Veiga e Gustavo Scarpa, e viu o nível de dificuldade aumentar ao fazer uma defesa em dois tempos após chute forte de Deyverson, tudo isso entre os 27 e 32 minutos. A pressão continuou aumentando, até Danilo encaixar boa jogada individual pela direita, limpando a marcação antes de cruzar por baixo. Scarpa veio de trás, entrou sozinho na área e deu de encontro com a bola, de canhota, para tirar o zero do placar, aos 37.

Os minutos finais antes do intervalo foram de reação rubro-negra. Durante a blitz, além de terem criado jogadas de perigo, os jogadores do Sport reclamaram muito de um toque de mão de Veiga dentro da área, mas o árbitro entendeu que o lance foi regular. No último minuto, o zagueiro Sabino salvou o Sport ao interceptar um chute rasteiro de Breno Lopes que havia deixado a bola viva na área.

Mais tímido durante o segundo tempo, o Palmeiras não mostrou muito interesse em ampliar o placar. Depois de tentar algumas investidas nos minutos iniciais, a equipe paulista viu os adversários assumirem o comando das jogadas ofensivas, criando duas boas chances no dez minutos iniciais, com um chute forte de Thiago Neves e um cabeceio de Sabino, na sequência. As duas tentativas assustaram Jailson.

A criatividade ofensiva do Sport continuou pelo menos até perto dos 30 minutos. Nesse tempo, André desperdiçou grande chance, quando ficou cara a cara com Jaílson e mandou para fora, e Thiago Neves parou no goleiro palmeirense, que não teve grande dificuldade em parar o chute rasteiro do meio-campista.  O ímpeto da equipe pernambucano não cessou, mas as chances pararam de ser criadas, já que o Palmeiras se fechou de vez, dedicado a preservar o 1 a 0 no placar. E a missão foi concluída com sucesso.

FICHA TÉCNICA

SPORT 0 X 1 PALMEIRAS

SPORT – Maílson; Hayner, Rafael Thyere, Sabino e Júnior Tavares; José Welison (Thiago Lopes), Marcão Silva e Thiago Neves; Neilton (Paulinho Moccelin), André (Maxwell) e Everaldo (Tréllez). Técnico: Umberto Louzer.

PALMEIRAS – Jailson; Marcos Rocha, Luan, Felipe Melo e Renan; Danilo, Zé Rafael (Gabriel Menino) e Raphael Veiga (Rony); Gustavo Scarpa (Danilo Barbosa), Deyverson (Victor Luis) e Breno Lopes (Willian). Técnico: Abel Ferreira.

GOL – Gustavo Scarpa, aos 37 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS –  José Welison, Marcos Rocha e Paulinho Moccelin.

ÁRBITRO – Caio Max Augusto Vieira (RN)

PÚBLICO – Sem torcida.

LOCAL – Ilha do Retiro, em Recife (PE) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.