André Penner / AP
André Penner / AP

Paulinho é poupado no último treino da seleção em Sochi

Jogador foi substituído com dores nas costas na partida contra o México, mas não preocupa para jogo com a Bélgica

Almir Leite, Leandro Silveira e Marcio Dolzan, enviados especiais/Sochi, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 11h58

Em seu último treino em Sochi durante a Copa do Mundo, a seleção brasileira não contou com a presença de Paulinho na atividade realizada no estádio Slava Metreveli nesta quarta-feira. O volante realizou apenas trabalhos regenerativos pelo segundo dia consecutivo, mas a assessoria de imprensa da CBF assegura que ele não preocupa para o duelo de sexta-feira com a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final da competição. 

+ Melhor ataque da Copa é teste definitivo para paredão brasileiro

+ Técnico da Bélgica vê Brasil favorito nas quartas e prevê: 'Melhor jogo da Copa'

+ Com Fernandinho na vaga de Casemiro, menos marcação e mais passes

Negociado no meio de 2017 pelo Guangzhou Evergrande com o Barcelona, Paulinho não teve férias antes do início da última temporada europeia. E o volante é um dos jogadores que mais tem sentido o desgaste físico durante a Copa do Mundo, a ponto de ter sido substituído por Tite em todos os quatro jogos que a seleção já fez na Rússia.

No último deles, o triunfo de segunda-feira sobre o México por 2 a 0, em Samara, pelas oitavas de final da Copa, Paulinho deixou o campo reclamando de dores nas costas. Na terça-feira, assim como todos os titulares, ele apenas realizou trabalhos na academia em Sochi. Agora, então, fez atividades regenerativas pelo segundo dia consecutivo, descendo ao campo apenas calçando tênis e acompanhado por um dos fisioterapeutas da comissão técnica. 

Ao contrário do que aconteceu na maior parte do período em que a seleção ficou concentrada em Sochi, a atividade desta quarta-feira foi realizada no campo principal da estrutura do estádio Slava Metreveli. Foi lá, também, onde a seleção iniciou a sua última fase de preparação para a Copa, na Rússia, em 12 de junho. Naquela oportunidade, no entanto, a atividade contou com a presença de torcedores, no único trabalho da equipe aberta ao público em Sochi. 

 

Já nesta quarta-feira, a seleção manteve a sua rotina de atividades fechadas na Rússia. Os primeiros 15 minutos do treino foram abertos à imprensa, depois sendo fechado. E nesse período, o trabalho se resumiu ao aquecimento dos jogadores, sem qualquer indicação sobre a formação que Tite utilizará contra a Bélgica. 

A principal dúvida sobre a formação do Brasil para o confronto com a Bélgica envolve a utilização de Marcelo. O lateral-esquerdo foi substituído nos minutos iniciais do duelo com a Sérvia, na quarta-feira passada, e acabou sendo poupado contra o México, tendo a sua vaga ocupada por Filipe Luís em ambos os compromissos. 

Durante a atividade, a comissão técnica da seleção também utilizou um drone para filmar a movimentação dos jogadores em campo e levantar dados para posterior orientação ao grupo, especialmente sobre posicionamento e ações a serem tomadas. 

O treino desta quarta foi o último da seleção em Sochi, pois a equipe não voltará mais para a cidade após o seu compromisso pelas quartas de final da Copa. A delegação viajará na quinta para Kazan, onde vai realizar um treinamento, o seu último trabalho antes de encarar a Bélgica, na sexta, em duelo que definirá um dos semifinalistas da competição na Rússia. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.