Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Pela 33ª vez na carreira, Thiago Silva será o capitão da seleção contra Venezuela

Opção feita pela comissão técnica é natural, já que outros líderes como Neymar, que está lesionado, e Casemiro, infectado pela covid-19, não entram em campo

Redação, Estadão Conteúdo

13 de novembro de 2020 | 10h51

O zagueiro Thiago Silva foi o escolhido pelo técnico Tite para ser o capitão da seleção brasileira na partida contra a Venezuela, nesta sexta-feira. O jogo acontece às 21h30, no estádio do Morumbi, em São Paulo, pela terceira rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. O defensor, que joga pelo Chelsea, da Inglaterra, acumula 91 jogos pela equipe nacional e vai usar a braçadeira pela 33.ª vez.

"Primeiramente, motivo de grande orgulho carregar a braçadeira de capitão da seleção brasileira. É claro que a gente sente muita felicidade por esse momento, mas acredito que o mais importante de tudo é a satisfação de estar aqui. Independentemente de estar com a braçadeira ou não, é uma alegria enorme de representar o meu país", afirmou Thiago Silva, em declarações publicadas pela CBF.

O zagueiro do Blues foi escolhido por Tite para usar a faixa pela segunda vez nessas Eliminatórias. Ele já havia recebido a braçadeira na partida contra o Peru, válida pela segunda rodada do torneio, em Lima. Antes disso, na estreia contra a Bolívia, o nomeado tinha sido o volante Casemiro, do Real Madrid.

A escolha feita pela comissão técnica é tida como uma opção natural. Isso porque Neymar foi cortado por lesão na coxa e Casemiro sequer chegou a viajar para se encontrar com a seleção. O volante foi diagnosticado com a covid-19.

Tite já alternou entre dar a faixa de maneira fixa e fazer rodízio. Nestas Eliminatórias, o treinador optou por mudar o escolhido de acordo com cada partida. Entre os convocados no grupo atual, o comandante ainda enxerga o zagueiro Marquinhos, do Paris Saint-Germain, e o goleiro Alisson, do Liverpool, como postulantes ao cargo.

Nesta sexta-feira, o time vai a campo com Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Allan, Douglas Luiz e Everton Ribeiro; Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Richarlison. O Brasil encontra-se na liderança, com seis pontos, mesmo número obtido pela Argentina, que está em segundo, porém, com um saldo de gols inferior. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.